Gastrointestinal Fibre Response Feline: uma nova solução nutricional ROYAL CANIN® para gatos

Gastrointestinal Fibre Response Feline: uma nova solução nutricional ROYAL CANIN® para gatos

O novo alimento é indicado para gatos adultos com distúrbios gastrointestinais agudos ou crônicos, condições que necessitem de um aporte específico de fibras e megacólon sem origem obstrutiva. Veja todos os detalhes do produto

As afecções gastrointestinais em gatos e cães fazem parte das queixas mais comuns em clínicas e hospitais veterinários em todo o mundo, perdendo possivelmente apenas para as queixas dermatológicas (TAMS, 2003).

Para entender esse cenário, vale relembrar detalhes da fisiologia dos pets. O intestino grosso dos felinos (carnívoro estrito) é menor em comprimento quando comparado ao de animais herbívoros (cavalos, coelhos) e onívoros (porco). Quando comparamos o ceco de felinos e caninos, o do cão (carnívoro oportunista) é relativamente maior. Já a absorção de água e de alguns eletrólitos (principalmente o sódio), e o armazenamento e a eliminação periódica de fezes são as principais funções do intestino grosso de gatos e cães (CASE et al., 2011; FREISHE, 2015).

Dentre as afecções relacionadas ao intestino grosso está a constipação, que pode ter as seguintes etiologias: ingestão de corpo estranho; fatores ambientais; dor em região anorretal ou ortopédica; obstrução de cólon ou anorretal; distúrbios neurológicos e relacionada a medicamentos. (TAMS, 2003; DE SOUZA, 2003). Em gatos, a obesidade e uma dieta pobre em fibras também são fatores importantes para o desenvolvimento desta condição, além do megacólon idiopático (FREISHE, 2015).

A utilização de uma ração gastrointestinal para gatos com composição adequada a esta condição contribui significativamente com o manejo clínico de animais que apresentam constipação e outras afecções gastrointestinais agudas ou crônicas.

Para colaborar com a alimentação desses felinos, a ROYAL CANIN® lança no Brasil o alimento Gastrointestinal Fibre Response Feline. Ele conta com uma combinação específica de fibras e outros benefícios para os animais.

Veja todos os detalhes sobre a nova solução nutricional da ROYAL CANIN®:

Principais características do alimento Gastroinstestinal Fibre Response
embalagem do alimento Gastrointestinal Fibre Response

A solução nutricional Gastroinstestinal Fibre Response Feline traz em sua formulação características importantes para pacientes felinos com alterações gastrointestinais. É sabido que a maioria dos gatos doentes apresenta apetite reduzido ou “caprichoso”, sendo fundamental o oferecimento de um alimento com alta palatabilidade.

Além disso, a formulação da Gastroinstestinal Fibre Response Feline é de alta digestibilidade, promovendo um alto aproveitamento dos nutrientes, e possui níveis de energia adequados para manutenção de um peso corporal saudável. Esse alimento possui uma mistura de fibras solúveis e insolúveis, o que confere a ele a capacidade de facilitar o trânsito intestinal para auxiliar no manejo da constipação felina.

Fibras solúveis x fibras insolúveis

Em linhas gerais, as fibras alimentares não são digeridas pela ação direta das enzimas digestivas em monossacarídeos para posterior absorção no intestino delgado. Contudo, algumas bactérias presentes no intestino grosso (cólon) podem realizar o processo de fermentação em determinados tipos de fibras (chamadas de fibras solúveis) e em variados graus.

Enquanto as fibras insolúveis não são completamente digeridas e, assim, eliminadas nas fezes, as fibras solúveis podem ser usadas como fonte de energia pelas bactérias intestinais, resultando na produção de gases e de ácidos graxos de cadeia curta (principalmente acetato, propionato e butirato). Esses são uma importante fonte de energia também para as células epiteliais do trato gastrointestinal, promovendo sua saúde e integridade.

Além disso, algumas fibras solúveis podem ser usadas como prebióticos nos alimentos (CASE et al., 2011; FREISHE, 2015).

As fibras solúveis formam uma solução viscosa quando em contato com a água, atuando em funções como o tempo de esvaziamento e no trânsito gástrico. Em contrapartida, fibras insolúveis tendem a reter água em sua matriz estrutural, mas não formam soluções viscosas. São muito menos fermentáveis, aumentam a massa fecal e, se em desequilíbrio, podem reduzir o trânsito intestinal (CASE et al., 2011).

O alimento Gastrointestinal Fibre Response Feline contempla uma mistura específica de fibras solúveis e insolúveis, promovendo uma melhor formação do bolo fecal, a saúde celular da mucosa do trato gastrointestinal e um adequado trânsito fecal. Traremos mais detalhes a seguir:

Fibras presentes no alimento Gastrointestinal Fibre Response Feline

Nos últimos vinte anos, estudos comprovaram que o tipo de fibras afeta a função e a saúde do trato gastrointestinal. Hoje, sabe-se que a proporção entre fibras solúveis e insolúveis nos alimentos gastrointestinais para gatos é tão importante quanto o seu valor total de fibras (CASE et al., 2011).

O alimento Gastrointestinal Fibre Response Feline possui teor moderado de fibras totais (4,8%), uma vez que altos teores de fibra aumentam a quantidade de matéria fecal, piorando o quadro de constipação já instalado. Contudo, mais do que analisar unicamente este valor, deve-se lembrar que o diferencial para o melhor manejo clínico nestes quadros clínicos é a proporção entre fibras solúveis e insolúveis do alimento gastrointestinal que, neste caso, deve ser maior em fibras solúveis. As fibras solúveis utilizadas como prebióticos proporcionam a diminuição do pH intestinal, dificultando a proliferação das bactérias patogênicas. Cabe ressaltar que quantidades excessivas de fibras solúveis podem resultar em uma pobre qualidade das fezes (CASE et al., 2011).

A importância do Psyllium

Dentre as fibras solúveis escolhidas para uso em rações gastrointestinais para gatos está o Psyllium. Ele é considerado uma fibra pouco fermentável, mas possui alta capacidade de absorção de água e forma um gel viscoso no trato gastrointestinal. Esta viscosidade aumenta a hidratação das fezes, estimula o peristaltismo intestinal e facilita a propulsão do bolo fecal, sendo uma importante ferramenta no manejo clínico de gatos com constipação.

O novo alimento para gatos da ROYAL CANIN® conta com uma formulação específica e inclui alto teor de psyllium para auxiliar no manejo da constipação felina.

Para qual paciente é indicado o alimento Gastrointestinal Fibre Response Feline?

A constipação não é considerada uma doença, mas uma manifestação clínica secundária a outras afecções que podem ser de origem anatômica, fisiológica e funcional (FREISHE, 2015; DE SOUZA, 2003). Assim, é necessário um correto diagnóstico da causa de base para determinar qual a melhor forma de tratamento do paciente.

O tratamento clínico da constipação engloba corrigir problemas de manejo, comportamentais e ambientais em associação a uma ração específica que auxilie a reeducação intestinal (DE SOUZA, 2003).

Tipicamente, gatos com queixa de constipação apresentam histórico crônico e recorrente, com evacuação insuficiente de fezes com pouco volume e muito ressecadas, acompanhadas de tenesmo. Tais pacientes se beneficiam significativamente de alimentos gastrointestinais com fibras solúveis que visam à saúde da mucosa intestinal e que produzam aumento da viscosidade do bolo fecal e a estimulação do peristaltismo intestinal.

Outros quadros gastrointestinais que necessitem de uma composição específica de fibras solúveis e insolúveis e gatos com megacólon não-obstrutivo também se beneficiam da indicação de Gastrointestinal Fibre Response Feline.

Contudo, caso o gato já apresente um quadro de obstipação (impactação fecal que impede a defecação), outras formas de tratamento devem ser consideradas (FREISHE, 2015).

Em resumo, o alimento Gastrointestinal Fibre Response Feline é indicado para gatos adultos com quadros de:

  • Distúrbios gastrointestinais agudos ou crônicos
  • Condições que necessitem de um aporte específico de fibras
  • Megacólon sem origem obstrutiva (necessário acompanhamento frequente)

Contraindicações

Por outro lado, o alimento adjuvante Gastrointestinal Fibre Response Feline ROYAL CANIN® é contraindicado em casos de obstipação e de megacólon obstrutivo.

Nestes quadros, há necessidade de remoção mecânica do bolo fecal e estabilização do paciente, uma vez que os felinos com essas condições podem apresentar quadros mais graves, com manifestações clínicas sistêmicas como depressão, vômitos e desidratação (DE SOUZA, 2003).

Benefícios de uma dieta equilibrada para gatos com distúrbios gastrointestinais

Gatos apresentam quadros de constipação com mais frequência que cães, e o manejo alimentar dessa condição clínica na espécie possui algumas particularidades nutricionais que devem ser almejadas para que o sucesso do tratamento seja maior. Uma proporção adequada de fibras insolúveis (que formam o bolo fecal) e de fibras solúveis (que carregam água para o interior das fezes e atuam na saúde gastrointestinal) é fundamental para a condução nutricional destes felinos.

Além disso, uma fórmula com alta digestibilidade promove uma nutrição otimizada e a formação de um bolo fecal adequado. Gatos doentes tendem a ter apetite reduzido; portanto, a palatabilidade da formulação deve ter atenção especial. Respostas nutricionais cada vez mais específicas trazem mais opções de tratamento clínico ao Médico-Veterinário, além de promover o bem-estar nos diferentes quadros clínicos.

Seguindo com o compromisso de levar mais bem-estar e qualidade de vida aos animais, a ROYAL CANIN mantém seu portfólio atualizado e cada vez mais completo. Veja todos os detalhes sobre os nossos alimentos e ainda acesse a nossa Calculadora para Prescrições para uma prescrição rápida e assertiva para seus pacientes.

Referências bibliográficas

CASE, L. P. et al. Canine and Feline Nutrition. 3. ed. Maryland Heights: Mosby Elsevier, 2011. p. 14-16; 49-53; 191; 465-467.

DE SOUZA, H. J. M. Coletâneas em Medicina e Cirurgia Felina. Rio de Janeiro: L. F. Livros, 2003. p. 89-101.

FREISHE, V. Como abordar… constipação no gato. Revista Veterinary FOCUS, v. 23, n. 2, p. 14-21, jan. 2015.

TAMS, T. R. Handbook of Small Animal Gastroenterology. 2. ed. St Louis: Saunders, 2003. p. 274-279.