Principais distúrbios gastrointestinais em gatos: como a nutrição pode ajudar?

Principais distúrbios gastrointestinais em gatos: como a nutrição pode ajudar?

Algumas estratégias nutricionais são importantes para aliviar os sinais de distúrbios no trato gastrointestinal (TGI) e até auxiliar o tratamento de tais problemas. Saiba mais

Os distúrbios no TGI de gatos são muito comuns no dia-a-dia da clínica. Os sinais clínicos relacionados às alterações nem sempre são específicos e muitas vezes refletem enfermidades em outros sistemas que não o gastrointestinal.

De acordo com a MV. Larissa de Lucca Druwe Lima, coordenadora de comunicação científica da ROYAL CANIN® no Brasil, dentre os principais distúrbios no TGI de gatos estão:

  • Colite
  • Constipação não responsiva a fibras
  • Constipação responsiva a fibras
  • Diarreia aguda e crônica
  • Doença inflamatória intestinal
  • Gastroenterites agudas não específicas
  • Insuficiência pancreática exócrina
  • Triadite (pancreatite, colangite, doença inflamatória intestinal)
  • Alergia alimentar com alterações gastrointestinais.
  • Vômitos
  • Formação e dificuldade em eliminação de bolas de pelo

Muitos dos problemas gastrointestinais de felinos podem ser minimizados e até tratados com o auxílio de um alimento coadjuvante ao tratamento médico. “A linha Gastrointestinal da ROYAL CANIN® tem como foco a segurança digestiva”, comenta Larissa. Além disso ela reforça que o perfil nutricional do alimento é fundamental para ajudar no restabelecimento da função do TGI: “A formulação da linha Gastrointestinal da ROYAL CANIN®  contém alta digestibilidade proteica, alta digestibilidade de carboidratos, polpa de beterraba,  combinação de prebióticos (FOS) e fibras dietéticas (como as cascas de sementes de Psyllium) que favorecem o equilíbrio da microbiota e a regulação do trânsito intestinal, além conter EPA/DHA que auxiliam no processo inflamatório”.

Dentre os nutrientes presentes em alimentos coadjuvantes ao tratamento dos problemas no TGI de gatos, estão:

  • Proteínas de alta digestibilidade: proteína de fácil digestão e aproveitamento. Uma alta digestibilidade garante menor presença de resíduos proteicos no cólon, que podem ser metabolizados pelas bactérias intestinais patogênicas causando mudanças na microbiota.
  • Carboidrato de alta digestibilidade: auxilia na facilidade de digestão e evita sobrecarga gástrica e intestinal, além de ser fonte importante de reposição energética.
  • Combinação de prebióticos (FOS) e fibras dietéticas (como as cascas de sementes de psyllium e MOS) que favorecem o equilíbrio da microbiota intestinal e a regulação do trânsito intestinal. A suplementação de fibras solúveis fermentáveis produz ácidos graxos de cadeia curta (como o acetato, o butirato e o propionato) que geram cerca de 70% do requerimento energético do epitélio colônico.
  • Antioxidantes: como a vitamina C, Vitamina E, selênio e Zinco que auxiliam a combater o estresse oxidativo causado pela doença.
  • EPA & DHA: lipídios ômega 3 encontrados no óleo de peixe, principalmente, com ação anti-inflamatória. Além do efeito benéfico anti-inflamatório do ômega 3 já conhecido em doenças cutâneas, há evidências de que alterações na razão ômega 6:3 podem favorecer a produção dos metabólitos do ômega 3, alterando o perfil eicosanoide na mucosa intestinal.
  • Glutamina: A glutamina é importante para o desenvolvimento e reparação da mucosa intestinal, além de reduzir a translocação bacteriana e a inflamação.

Esses nutrientes contribuem com o tratamento de distúrbios gastrointestinais.

Seguem as recomendações de alimentos coadjuvantes para alguns dos mais frequentes problemas no TGI de felinos:

Distúrbio Alimento ROYAL CANIN
Colite Gastrointestinal Feline
Constipação não responsiva a fibras Gastrointestinal Feline
Diarreia aguda e crônica Gastrointestinal Feline
Gastroenterites agudas não específicas Gastrointestinal Feline
Insuficiência pancreática exócrina sem esteatorreia Gastrointestinal Feline ou Hypoallergenic Feline
Triadite (pancreatite, colangite, doença inflamatória intestinal) Hypoallergenic Feline
Alergia alimentar com alterações gastrointestinais Hypoallergenic Feline
Doença inflamatória intestinal Gastrointestinal Feline

Estas são apenas recomendações sugeridas, o médico-veterinário é o mais indicado para prescrever o alimento conforme quadro clínico do paciente.

Um mito muito frequente relacionado a presença de fibras no alimento coadjuvante ao tratamento de distúrbios no TGI é que esses nutrientes devem estar em menor quantidade, uma vez que estimulam o trânsito gastrointestinal. “Pacientes com diarreia responsiva a fibras podem se beneficiar de um alimento com maior teor de fibra, uma vez que a adição de fibra auxilia na regulação da motilidade e a composição e atividade da microbiota intestinal.  Porém, é importante a combinação da quantidade adequada entre fibras solúveis e insolúveis para o melhor equilíbrio intestinal”, esclarece Larissa.

Muitos casos de distúrbios no TGI envolvem enfermidades crônicas que requerem tratamento e/ou monitoramento frequente do gato. Nessas situações, à critério do Médico-Veterinário (MV), o alimento coadjuvante pode ser fornecido por toda a vida do animal. Larissa reforça que “Os alimentos da linha Gastrointestinal Feline da ROYAL CANIN®  são completos e balanceados para um animal adulto, por isso, caso necessário e quando prescrito pelo MV, podem ser utilizados a longo prazo pelo gato”.

Ainda falando dos distúrbios mais comuns, a formação de bolas de pelo muitas vezes requer intervenção cirúrgica para remoção do emaranhado de pelos ou tricobenzoar. O procedimento cirúrgico visa além da desobstrução do segmento intestinal, o retorno da funcionalidade do TGI. A alimentação coadjuvante ao tratamento prescrita no pós-operatório apresenta benefícios ao paciente. “Para gatos que tenham passado por desobstrução intestinal por meio de processo cirúrgico ou algum tratamento mais invasivo, a nossa recomendação é seguir com o alimento da linha Gastrointestinal Feline, de preferência o alimento úmido, uma vez que possui concentração de nutrientes e maior digestibilidade, ou seja, facilita a digestão, diminuindo a sobrecarga gastrointestinal para o paciente que esteja se recuperando. Além disso, os alimentos úmidos apresentam elevada palatabilidade e atratividade para o gato, facilitando a alimentação”, comenta Larissa.

Além disso, para casos de prevenção de bolas de pelo, a Royal Canin tem o alimento específico Hairball care, com uma fórmula nutricional precisamente equilibrada que ajuda naturalmente a reduzir a formação de bolas de pelo. O complexo exclusivo contido em Hairball care é composto por uma mistura fortalecida de fibras alimentares, incluindo psyllium que é rico em mucilagem e fibras insolúveis para ajudar a suportar o trânsito intestinal. Como consequência, o pelo ingerido pode ser eliminado nas fezes de forma regular em vez de ser acumulado no estômago e ser regurgitado.

Um alimento de qualidade, completo e balanceado é a melhor forma de manter o gato saudável e colaborar para a prevenção de doenças em diversos estágios de vida. “Quanto melhor a qualidade de um ingrediente melhor também é a sua digestibilidade, portanto, melhor aproveitamento pelo organismo, além de não sobrecarregar o sistema digestivo”, ressalta a MV.

Nos casos de distúrbios no TGI recorrentes em gatos, a ROYAL CANIN® recomenda a linha Gastrointestinal Feline, que auxilia não só o tratamento, mas também a prevenção de novos episódios. “A linha Gastrointestinal deve ser recomendada pelo MV, que é aquele que melhor conhece o histórico do paciente e, portanto, o profissional mais indicado para prescrever o alimento adequado”, finaliza Larissa.

Conheça mais sobre a linha Gastrointestinal da ROYAL CANIN®.