Alergia alimentar em gatos: quais os sinais e as etapas do diagnóstico

Alergia alimentar em gatos: quais os sinais e as etapas do diagnóstico

A alergia alimentar em gatos é uma enfermidade dermatológica importante que requer conduta terapêutica nutricional específica; saiba mais

Estudos demonstraram que as alergias alimentares em geral são o terceiro tipo mais comum de alergia felina, estando atrás apenas das alergias a picadas de pulgas e substâncias inaladas.

O prurido, que normalmente indica a presença de uma alergia alimentar, é causado pela erupção de pequenos aumentos de volume pálidos e cheios de líquido na pele de um gato. Ele se forma em resposta à presença de um alérgeno, uma substância à qual o sistema imune do animal é anormalmente reativo. As áreas mais comumente acometidas são a cabeça e pescoço.

Quais alimentos podem levar à alergia alimentar em gatos?

Os alimentos mais comumente associados a alergias alimentares em gatos incluem carne bovina, peixe, frango e laticínios.

Sinais clínicos da alergia alimentar em gatos

Os sinais mais visíveis de uma alergia alimentar não se desenvolvem repentinamente. Em vez disso, eles tendem a se tornar evidentes e se intensificar com o tempo – podem levar meses ou até mais para aparecerem de fato – conforme o sistema imunológico do animal gradualmente modula as células de defesa contra certas moléculas de proteínas e carboidratos que estão presentes na maioria dos alimentos para gatos.

Os sinais mais frequentes são:

Prurido generalizado, prurido da cabeça, rosto, pavilhão auricular ou pescoço

  • Dermatite miliar
  • Alopecia simétrica, ou lesões do complexo granuloma eosinofílico
  • Angioderma
  • Urticária
  • Conjuntivite
  • Vômito
  • Diarreia

Segundo dados da Cornell University, sinais gastrointestinais ocorrem em 10 a 15% dos pacientes felinos com alergia alimentar. Guilford e colaboradores (1998) observaram que 33% dos gatos pruriginosos com alergia alimentar também tinham problemas gastrointestinais concomitantes.

Os gatos acometidos pela alergia alimentar também podem desenvolver infecções recorrentes na pele e nas orelhas. Em alguns felinos, essas infecções podem ser o único sinal clínico de alergia alimentar.

Diagnóstico

O diagnóstico da alergia alimentar em gatos pode ser feito em etapas, e o médico-veterinário deve contar com a ajuda do tutor para o sucesso nesse momento. Veja detalhes:

Teste de eliminação

O teste mais confiável para diagnosticar alergias alimentares é um ensaio alimentar. Este teste envolve alimentar uma dieta especial, que não contenha nenhuma proteína a que o gato tenha sido exposto anteriormente, por um período de 8 a 12 semanas. As proteínas hidrolisadas, por possuírem um baixo peso molecular, são ótimas opções para a realização do teste de eliminação.

Enquanto o gato está em um teste de eliminação, ele deve comer APENAS o alimento recomendado pelo médico-veterinário. É muito importante que nenhum outro petisco, suplemento ou outro produto comestível seja fornecido durante o teste alimentar. O gato só pode receber o alimento específico, água e os medicamentos sem sabor prescritos durante um teste de eliminação.

Se os sinais de alergia desaparecerem durante o teste de eliminação, a próxima etapa é realizar a exposição provocativa.

Exposição provocativa

A exposição provocativa envolve a reintrodução do alimento convencional do gato. O diagnóstico de alergia alimentar é confirmado se os sinais clínicos retornarem dentro de uma a duas semanas após o início do alimento convencional.

Tratamento

As alergias alimentares, como outras alergias, não podem ser curadas totalmente. Depois de realizado o diagnóstico de alergia alimentar, o médico-veterinário pode optar por continuar com o alimento que usou durante o teste alimentar para manutenção a longo prazo.

A ROYAL CANIN® possui alimentos completos, secos e úmidos, que graças ao seu perfil nutricional ideal ajudam a manter uma pele e pelagem saudáveis. Além disso, a ROYAL CANIN® produz alimentos coadjuvantes também em ambas as versões, secas e úmidas, que são uma parte essencial do tratamento de cães e gatos com enfermidades dermatológicas. Aqui você encontra mais informações sobre os produtos Royal Canin®.

 

Referências bibliográficas

Barnette, C. Food allergies in cats. Disponível em: https://vcahospitals.com/know-your-pet/food-allergies-in-cats. Acessado em: 10/10/2020. Cornell University.

Food allergies. Disponível em: https://www.vet.cornell.edu/departments-centers-and-institutes/cornell-feline-health-center/health-information/feline-health-topics/food-allergies. Acessado em: 10/10/2020.

Guilford WG, Markwell PJ, Jones BR, et al: Prevalence of food sensitivity in cats with chronic pruritus, vomiting, or diarrhea, in Kwochka KW, Willemse T, Von Tscharner C (eds): Advances in Veterinary Dermatology, vol III. Boston, Butterworth Heinemann, 1998, p 493.

Steinbergen, V.M., Gordon, A. Diagnosis and Management of Food Allergies in Dogs and Cats. Disponível em: https://www.vetfolio.com/learn/article/diagnosis-and-management-of-food-allergies-in-dogs-and-cats. Acessado em: 10/10/2020.