Setembro amarelo: a interação humano-animal (IHA) e seus benefícios

Setembro amarelo: a interação humano-animal (IHA) e seus benefícios

Nesse Setembro Amarelo, queremos reforçar ainda mais os benefícios que os pets trazem para nós, seres humanos, e para nossa saúde mental

Nos dias de hoje, globalmente, o suicídio ocorre em 1 pessoa a cada 40 segundos. Estão, entre as principais causas, a depressão e solidão. Grandes e importantes estudos concluíram que as interações humano-animal (IHA) podem reduzir a ansiedade e a depressão, além de ajudar a proteger contra uma variedade de outros sentimentos e emoções negativas.

Solidão, depressão e suicídio

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Sheffield Hallam, pessoas que têm uma tendência crônica a se sentirem solitárias e isoladas têm um alto risco de sofrer de depressão.

Segundo pesquisas britânicas, a solidão não é apenas um estado de estar sozinho, é uma sensação de estar menos em contato com as pessoas do que você prefere. E esse sentimento de solidão pode desencadear um ciclo auto-perpetuante de auto-culpa, baixa autoestima, disforia e menor auto-estima, o que pode levar a problemas de saúde mental, como a depressão.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) identifica a depressão como um transtorno mental comum e mais de 264 milhões de pessoas são acometidas por esse problema de saúde mental. Se não for tratada adequadamente, a OMS afirma que a depressão pode levar ao suicídio, que é a segunda principal causa de morte em jovens de 15 a 29 anos. Estima-se que quase 8 mil pessoas morrem devido a suicídio todos os anos.

Como os pets podem ajudar?

Interações homem-animal positivas parecem estar relacionadas a alterações nas variáveis ​​fisiológicas em seres humanos e animais, como redução da frequência cardíaca e pressão arterial. Em uma amostra de homens infectados com HIV, aqueles que possuíam animais de estimação relataram menos depressão, especialmente em casos em que tinham menos suporte social de outras fontes.

Pesquisas demonstraram uma associação entre a posse de animais de estimação e suporte social aprimorado, bem-estar emocional e bem-estar geral. Os benefícios que os animais de estimação trazem aos seres humanos são diversos, mas entre os principais estão:

  1. Sensação de relaxamento

Estudos indicam que apenas observar peixes diminui a pressão sanguínea e a tensão muscular em pessoas prestes a serem submetidas a cirurgia oral. É por isso que há aquários em quase todos os consultórios dos dentistas.

Outra pesquisa mostra que os tutores têm pressão sanguínea e batimentos cardíacos significativamente mais baixos antes e durante a execução de tarefas mentais estressantes. Finalmente, as pessoas se recuperam mais rapidamente de ataques cardíacos e sobrevivem mais tempo quando há um animal de estimação em casa.

  1. Amor incondicional e aceitação

Os animais são extremamente fiéis aos tutores. Seja qual for a finalidade do gato ou cão, ele estará sempre pronto para dar amor e carinho e aceitar as condições de vida e rotina ditadas pelo tutor.

  1. Alteração de comportamento

Os pets têm a capacidade de alterar o comportamento do ser humano, deixando-o mais calmo, menos ofegante e reativo, com a fala mais tranquila e a mente focada em pensamentos prazerosos.

  1. Distração

Animais de estimação são como filmes e livros fascinantes. Eles “removem” a realidade e distraem os tutores chamando a atenção para um momento lúdico e divertido.

  1. Contato direto

O poder curativo do toque é indiscutível. Acariciar um gato ou cão pode diminuir a pressão sanguínea e a frequência cardíaca e aumentar os níveis de serotonina e dopamina. Além disso, o ronronar do gato também já foi descrito com propriedades calmantes e curativas.
Em um estudo de interação, os gatos mudaram seu comportamento diante da alteração de humor do tutor. Os felinos mostraram mais fricção na cabeça e no flanco em direção às pessoas depressivas. O potencial desse e outros achados para sessões envolvendo gatos e humanos é óbvio.

  1. Senso de responsabilidade

Com os animais de estimação, há grande responsabilidade, e a responsabilidade – de acordo com pesquisas sobre depressão – promove a saúde mental. Psicólogos afirmam que os seres humanos constroem a autoestima, assumindo o controle de uma tarefa, aplicando as habilidades a um trabalho. Assim, a responsabilidade envolvida em cuidar de um animal desempenha um papel importante em ajudar as pessoas a gerenciar as condições de saúde mental em longo prazo.

Pesquisa recente sobre IHA x Isolamento social

Uma pesquisa realizada pela Mars Petcare e o Human Animal Bond Research Institute (HABRI) concluiu que os animais de estimação são importantes no combate à solidão.

Essa pesquisa, conduzida pela Edelman Intelligence em nome da HABRI e da Mars Petcare, em maio de 2019, foi um questionário on-line de 30 minutos nacionalmente representativo, realizado nos Estados Unidos, para explorar o papel que a interação entre animais de estimação e humanos pode ter no tratamento do isolamento social e da solidão. Foi realizada com 2.036 entrevistados, incluindo 1.469 tutores de pets (72%).

Os seguintes dados foram obtidos como resultado:

  • 80% dos entrevistados se sentem menos sozinhos na companhia de um pet;
  • Cerca de 26% dos tutores de animais declarou ter um pet porque sabe que é bom para a saúde mental. Os entrevistados com mais de 55 anos fizeram esse relato com mais frequência (55%);
  • 54% dos entrevistados dizem que seu animal de estimação os ajuda a se conectar com outras pessoas;
  • Metade dos entrevistados (51%) afirma que seu animal de estimação os ajuda a se sentir menos tímidos;
  • 9 em 10 pessoas com mais de 55 anos acreditam que os pets podem ajudar os idosos a se sentirem menos solitários;
  • Quase três quartos (73%) dos entrevistados acreditam que asilos e instalações de vida assistida deveriam promover a interação com animais de estimação.

De acordo com a Dra. Nancy Gee, PhD, Gerente de Pesquisa de Interação Humano-Animal no Centro de Nutrição e Bem-Estar Animal WALTHAM™, parte da Mars Petcare, o benefício da IHA já é conhecido. Agora, o que se espera é que os resultados obtidos a partir da interação entre animais e humanos sejam utilizados na sociedade como um todo e que auxiliem os profissionais que trabalham com o tema do isolamento social na resolução desse problema.

 

Referência bibliográfica

Allen, K., et al. Pet ownership, but not ACE inhibitor therapy, blunts home blood pressure responses to mental stress. Hypertension, 38, 815-820, 2011.

Allen, K., et al. Cardiovascular reactivity and the presence of pets, friends, and spouses: The truth about cats and dogs. Psychosomatic Medicine, 64, 727-739,2002.

Barker, S.B., et al. Exploratory study of stress-buffering response patterns from interaction with a therapy dog. Anthro- zoos, 23(1), 79-91,2010.

Borchard, T.J. Six ways pets relieve depression. Disponível em: https://psychcentral.com/blog/6-ways-pets-relieve-depression/ Acesso em: 05/07/2020.

HABRI (Human Animal Bond Research Institute). Disponível em:

https://habri.org/research/mental-health/ Acessado em: 05/07/2020.

Kikusui, T. et al. Social buffering: Relief from stress and anxiety. Philosophical Transactions of The Royal Society B (Biological Sciences), 361, 2215-2228,2006.

Odendall, J., Meintjes, R.Neurophysiological correlates of affiliative behavior between humans and dogs. Veterinary Journal, 165(3), 296-301,2003.

Siegel, J., et al. AIDS diagnosis and depression in the Multicenter AIDS Co-hort Study: The ameliorating impact of pet ownership. AIDS Care, 11(2), 157-170,1999.

Souter, M.A ., Miller, M.D. Do animal-assisted activities effectively treat depression? A meta-analysis. Anthro- zoos, 20(2), 167-180,2007.

Turner, D.C., et al. The future of research, education and clinical practice in the animal/human bond and animal-assisted therapy. Handbook on Animal-Assisted Therapy, 547-78,2010.