Gato Maine Coon: muito além do tamanho - conheça outras características e particularidades da raça

Gato Maine Coon: muito além do tamanho - conheça outras características e particularidades da raça
×

Links rápidos:

Maine Coon um gato muito grande, com corpo musculoso e imponente. Um felino inteligente e afetuoso que apesar do tamanho sugerir independência e distanciamento são muito próximos de seus tutores. Saiba mais sobre as características desta raça cativante – o Maine Coon!

A origem do gato Maine Coon não foi muito bem documentada, existindo muitos mitos sobre a origem da raça. Era comum os navios que viajavam entre a Europa e os Estados Unidos terem gatos a bordo – para controlar os roedores, e é provável que os antepassados destes felinos também estivessem a bordo, vindos de diferentes partes do mundo.

Sugere-se que tenha sido a seleção natural causada pelas condições ambientais que produziram gatos grandes, musculosos e com pelagem densa, capazes de sobreviver aos invernos do recém-descoberto continente Norte Americano.

Os primeiros relatos sobre felinos da raça Maine Coon são datados na década de 1850, no estado de Maine, nos Estados Unidos – razão pela qual eles se tornaram conhecidos como gatos “Maine”.

Gato da raça Maine Coon

Características gerais da raça Maine Coon

Veja as principais características e particularidades dos gatos da raça Maine Coon, a seguir.

Tabela das principais características da raça felina Maine Coon

Infográfico com as características de gato da raça Maine Coon

Embora seja uma raça grande, o comportamento do gato Maine Coon tende a ser tranquilo!

 

Apesar do tamanho, que sugere independência e distanciamento, estes imponentes felinos são altamente dependentes das pessoas. Não são animais que pedem atenção constantemente, mas preferem estar onde há movimentação, quase sempre supervisionando qualquer atividade que ocorra no ambiente.

O gato Maine Coon e a predisposição racial para determinadas afecções

Um felino exuberante e cativante, o Maine Coon possui – devido a sua fisiologia, característica física ou hereditariedade – certa predisposição para doenças; muitas das quais estão associadas à sua anatomia, como problemas cardiovasculares e osteoarticulares.

Condições cardiovasculares

Dentre as condições cardiovasculares, a cardiomiopatia hipertrófica é a alteração mais comum apresentada pelos felinos.

O Maine Coon possui uma mutação que aumenta o risco do desenvolvimento da cardiomiopatia hipertrófica. Uma doença caracterizada por um ventrículo esquerdo não dilatado hipertrofiado na ausência de outras condições cardíacas ou sistêmicas (por exemplo, estenose da válvula aórtica, hipertensão sistêmica) (Hofman, et. al, 2018).

A condição possui característica hereditária com traço autossômico dominante, com mutação já identificada. A maioria dos felinos afetados desenvolvem a doença aos 6 anos de idade, sendo que os machos correm mais risco de desenvolver a doença.

Foi identificado que nos Maine Coons a homozigose para a mutação aumenta o risco de desenvolvimento da cardiomiopatia hipertrófica. E diferentes estudos apontam a prevalência da mutação em gatos da raça, com resultados de 39,4% no Reino Unido, 22% na Alemanha, 46% na Austrália/Nova Zelândia e 34% em todo o mundo (Meurs, 2016; Gough et. al., 2018; Partington & Dukes-McEwan, 2022).

Doença osteoarticulares

A ocorrência de displasia coxofemoral está bem documentada em felinos, e a maior prevalência ocorre justamente em gatos da raça Maine Coon, com 18% de incidência (Bennett, 2016).

A Fundação Ortopédica para Animais dos Estados Unidos disponibiliza um banco de dados com registro retrospectivo dos últimos 30 anos, cuja prevalência de displasia coxofemoral foi de 25,9% nos felinos da raça. A prevalência é ligeiramente maior em machos (27,3%) que fêmeas (23,3%), e 56% dos casos relatados foram de displasia bilateral (Bennett, 2016; Loder & Todhunter, 2017; Sparkes, 2018).

Cuidados especiais com a raça Maine Coon

Felino da raça Maine Coon

Além das particularidades do Maine Coon já descritas, o médico-veterinário deve orientar o tutor sobre cuidados com a pele e o pelo, além de oferecer indicações sobre o manejo nutricional mais adequado para a raça.

Cuidados com a pelagem

O médico-veterinário deve orientar o tutor sobre os cuidados com a pelagem do gato Maine Coon. O Maine Coone é um felino com a pelagem não uniformemente longa em todo o corpo, mas apenas no pescoço, nas pernas e na cauda. É indicado que devem ser escovados de duas a três vezes por semana.

A escovação frequente promove a remoção de pelos soltos e auxilia na saúde de pele – além de contribuir com o funcionamento do seu trato digestivo, pois há menor ingestão de pelos durante o processo de autolimpeza do felino.

Durante os dias úmidos e no inverno, a pelagem do Maine Coon requer uma atenção mais precisa por parte do tutor. Isso porque nesses períodos a tendência é de uma redução na perda de pelos, o que faz com que o seu manto se torne mais denso. Com isso, o subpelo do Maine Coon torna-se mais propenso a nós e emaranhados.

Vale citar que tais cuidados são importantes para minimizar a ingestão de pelos e a possível formação de tricobezoares. Como nem todo animal se adapta fácil ao processo de escovação, é importante que o médico-veterinário incentive o tutor a adotar essa prática desde a fase de filhote do Maine Coon.

O manejo nutricional do gato Maine Coon

O uso de um alimento especificamente formulado para uma raça específica pode ajudar os animais na redução de certas doenças às quais eles são mais suscetíveis. Levando em conta as suas sensibilidades específicas, a prescrição de um alimento focado em uma raça ou condição determinada permite que o clínico use a nutrição como uma ferramenta para a manutenção da saúde animal.

Com base nas características e predisposições da raça Maine Coon, a Royal Canin desenvolveu um alimento específico para a raça: Maine Coon Adult gatos adultos da raça Maine Coon – A partir de 12 meses de idade.

Alimento Royal Canin para gatos da raça Maine Coon

Pelas características de tamanho, fisiologia e estrutura do Maine Coon, sabe-se que é possível minimizar ou mesmo prevenir a manifestação de certas características indesejadas a partir da nutrição. Pensando nisso, o alimento Maine Coon Adult auxilia em:

  • suporte às articulações: formulado para auxiliar na manutenção de ossos e articulações saudáveis. Contém EPA e DHA.
  • coração saudável: contém nutrientes como taurina, EPA e DHA, que contribuem com a manutenção de um coração saudável.
  • pele e pelagem saudáveis: uma combinação exclusiva de nutrientes específicos, incluindo aminoácidos, vitaminas e ácidos graxos, que auxilia na manutenção da saúde da pele e pelagem.
  • saúde urinária: formulado para auxiliar na manutenção da saúde do trato urinário dos gatos.
  • croquete adaptado para a grande mandíbula do Maine Coon que, por ter um tamanho maior, estimula a mastigação e contribui para a higiene bucal.

Croquetes do alimento Royal Canin, adaptados para a mordida dos gatos da raça Maine Coon

Para filhotes Royal Canin possui no seu portifólio um grupo de produtos para atender as diferentes necessidades para filhotes, incluindo:

  • Mother & Babycat: alimento completo para gatos filhotes de 1 a 4 meses de idade, gatas gestantes e em lactação. Possui apresentação como alimento seco ou úmido;
  • Filhotes/Kitten – seco para a segunda etapa/fase de crescimento: de 4 até 12 meses de idade;
  • Filhotes/Kitten – úmido para filhotes até os 12 meses de idade;
  • Filhotes Castrados Alimento seco completo para gatos filhotes castrados: de 6 a 12 meses de idade.

São alimentos que irão atender a demanda dos filhotes durante o período de crescimento como:

  • fortalecimento do sistema imunológico através do complexo cientificamente comprovado, incluindo vitaminas E, C, luteína e taurina;
  • desenvolvimento do cérebro – Enriquecido com ácido graxo ômega-3 (DHA) para apoiar o desenvolvimento cerebral do gato filhote e promover uma visão saudável;
  • suporte ao desenvolvimento intestinal – Combinação de prebióticos (MOS) e proteínas altamente digestíveis para ajudar a promover um equilíbrio saudável da microbiota intestinal para a saúde digestiva.

Linha de alimentos Royal Canin para felinos filhotes e adultos

Outras recomendações relevantes que o médico-veterinário deve informar aos tutores

É interessante que o médico-veterinário converse com o tutor sobre o manejo mais adequado para seu felino sempre que tiver oportunidade, oferecendo informações importantes para o bem-estar do animal, como:

  • é preciso garantir que as necessidades ambientais e sociais do felino sejam atendidas no ambiente interno em que ele vive;
  • embora os gatos que vivem indoor tenham risco reduzido de sofrer uma série de ocorrências – como atropelamentos, predação, interações agressivas com gatos e outros animais e exposição a doenças infecciosas -, a vida dentro de casa não é isenta de riscos, e também merece atenção;
  • previsibilidade, familiaridade, rotina e senso de controle são fatores-chave para reduzir o estresse.

Conheça nossas linhas  exclusivas para gatos e utilize a ferramenta Calculadora de Prescrições para instituir a melhor escolha nutricional para o seu paciente. Para conhecer mais sobre a particularidade de outras raças, acesse o guia da Royal Canin!

Referências Bibliográficas

Bennett, D. Osteoarthritis in the Aging Cat. In: August’s Consultations in Feline Internal Medicine Volume 7. Elsevier, p. 957-969, 2016.

Gough, A. Thomas, A. O’Neil, D. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3rd Edition. John Wiley & Sons, 2018.

Hofman, N., Dirven, M.J.M, Van Steenbeek, F.G. Hypertrophic cardiomyopathy in Maine Coon cats in The Netherlands. Utrecht University, Faculty of Veterinary Medicine, Department of Companion Animals. Acesso em: 08/08/2023

Meurs, K. M. Genetics of Feline Heart Disease. In: August’s Consultations in Feline Internal Medicine Volume 7. Elsevier, p. 412-416, 2016.

Partington, C., Dukes-McEwan, J. Pre-clinical feline hypertrophic cardiomyopathy. In: Feline cardiac and thoracic issues. Veterinary Focus, n. 32 v. 2, 2022. Acesso em: 07/07/2023.

Sagols, E. & Perea, S. Individualized pet nutrition. In: Nutrition topics in small animal practice. Veterinary Focus, n. 31 v. 3, 2022. Acesso em: 07/07/2023.

Scherk, M. Optimizing an indoor lifestyle for cats. In: Feline Medicine. Veterinary focus, n. 26, v. 2, 2021. Acesso em: 07/07/2023.

Sparkes, A. Osteoarthritis and Degenerative Joint Disease In: The Feline Patient, 5th Edition. JohnWiley & Sons, p. 140 e 142, 2018.

Woerde, D.J., Hoffmann, K.L., Kicinski, A., Brown, N.L. Oesophageal obstruction due to trichobezoars in two cats. Journal of Feline Medicine and Surgery Open Reports, v. 5, n. 1, 2019. Acesso em: 05/06/2023.