ROYAL CANIN® responde: quantidade de alimento consumida pelo animal diminui na vida adulta?

ROYAL CANIN® responde: quantidade de alimento consumida pelo animal diminui na vida adulta?

Nova seção do Portal Vet responde dúvidas mais frequentes recebidas pelos canais de atendimento da ROYAL CANIN®

O campo da nutrição de animais de companhia fez avanços científicos significativos nas últimas décadas. Cada vez mais temos fórmulas altamente especializadas para atender características específicas de gatos e cães domesticados. Além disso, a boa alimentação de seus pets é um dos temas de maior interesse dos tutores que levam seus animais ao consultório veterinário.

Entretanto, podem surgir dúvidas tanto por parte do tutor quanto do médico-veterinário, e alguns conceitos de nutrição sempre devem ser esclarecidos para que a prescrição nutricional seja a mais adequada possível e que erros de manejo possam ser evitados.

Para ajudar a solucionar as dúvidas mais frequentes, criamos a seção “ROYAL CANIN® responde”. Por aqui vamos selecionar perguntas que recebemos em nossos canais de atendimento e desenvolver conteúdos para auxiliar você, médico-veterinário, sobre como abordar estas questões com os tutores de seus pacientes.

Pergunta recebida pelo SAC:

“Comprei o alimento para o meu pet e percebi que a quantidade oferecida diminui conforme ele vai chegando na idade adulta. Está certo isso? Meu pet não vai ter déficit de nutrientes?”

Para elucidar essa dúvida ao tutor, precisamos primeiro compreender três questões importantes em nutrição:

  1. Necessidades energéticas de acordo com a etapa de vida
  2. Balanceamento nutricional da dieta
  3. Manejo alimentar

Necessidades energética e nutricional de acordo com as etapas de vida

A energia em si não é um nutriente, mas é um elemento essencial à vida. O cálculo da necessidade energética de um animal é o ponto de partida para a formulação e balanceamento do alimento. A energia das dietas para gatos e cães pode ser originária de três macronutrientes:

  • Carboidratos
  • Lipídeos
  • Proteínas

Os demais elementos da dieta exercem outras funções importantes, porém não fornecem energia.

O requerimento energético é diferente para cada etapa de vida do pet, e é calculado com base no peso metabólico do animal. Para encontrar o peso metabólico em cães, elevamos seu peso corporal à potência de 0,75. Um cão de 10 kg, portanto, possui peso metabólico de 5,62 kg (10 kg0,75). Para gatos, o peso metabólico é igual ao peso vivo elevado a 0,67. Um gato de 5 kg, portanto, possui peso metabólico de 2,9 kg (5 kg0,67).

Após encontrar o peso metabólico, calculamos o requerimento diário de calorias. A necessidade energética de manutenção (NEM) para animais adultos é estimada da seguinte forma:

  • Cães: 90 a 130 kcal / kg0,75
  • Gatos: 100 kcal / kg0,67

De acordo com o NRC (2006), filhotes em crescimento requerem aproximadamente 2 vezes a NEM, uma vez que estão em período de crescimento e desenvolvimento de ossos e musculatura. Entretanto, uma diminuição para 1,6 vezes a NEM é recomendada quando o animal atinge 50% do peso corporal esperado quando adulto, e 1,2 vezes com 80% do peso adulto. Esta redução acompanha o declínio das necessidades calóricas no período em que o filhote cresce e se desenvolve. Por este motivo, a quantidade de calorias diárias necessárias diminui (proporcionalmente ao peso) durante o período de desenvolvimento do filhote em animal adulto.

Para melhor visualização, observe abaixo as recomendações de quantidade do alimento MINI PUPPY®, indicado para filhotes de cães de pequeno porte:

tabela alimentar do filhote

Todos os produtos ROYAL CANIN® trazem em sua embalagem a tabela de racionamento para auxiliar no fornecimento das quantidades adequadas de alimento aos pets. A tabela e os cálculos apresentados acima são um ponto de partida, e ajustes podem ser necessários de acordo com o acompanhamento do ganho de peso de cada filhote.

Balanceamento da dieta e as quantidades adequadas de nutrientes

A quantidade de calorias de um alimento, como já comentamos, é a base para o balanceamento dos demais nutrientes necessários na dieta. Isso significa, por exemplo, que diante da formulação de dois alimentos diferentes destinados para cães de 10 meses de idade, ambos devem fornecer as quantidades corretas dos demais nutrientes, de acordo com as diretrizes nutricionais, mesmo que tenham energia metabolizável diferentes.

Essa equação garante que o animal que se alimenta de uma dieta completa e balanceada, conforme prescrição do médico-veterinário, não apresentará déficits nutricionais.

Manejo alimentar merece atenção especial

O fornecimento da quantidade correta de alimento contribui para o desenvolvimento harmonioso do filhote. Evidências científicas demonstram que filhotes acima do peso têm maior probabilidade de se tornarem adultos obesos, e a obesidade é uma doença crônica diretamente relacionada ao declínio da qualidade de vida, ao surgimento de comorbidades e menor longevidade.

Portanto, é fundamental reforçar com o tutor a importância de seguir o manejo alimentar conforme a orientação do médico-veterinário, sem, por exemplo, oferecer mais alimentos aos animais do que o que consta no rótulo, seja ele filhote ou adulto.

Esperamos que este conteúdo tenha lhe ajudado a compreender alguns aspectos rotineiros importantes sobre nutrição animal. Para facilitar a prescrição dos alimentos ROYAL CANIN® para filhotes e adultos saudáveis, acesse nossa ferramenta exclusiva Calculadora de Prescrição, disponível gratuitamente no Portal Vet, e garanta a ingestão em quantidades adequadas de alimento para seus pacientes!

Referências bibliográficas

Nutrient requirements of dogs and cats. National Research Council, 2006.