Escore Corporal: como reconhecer o sobrepeso e a obesidade em cães e gatos?

Escore Corporal: como reconhecer o sobrepeso e a obesidade em cães e gatos?
×

Links rápidos:

Em 2010 houve o lançamento das Diretrizes Globais de Nutrição pela Associação Mundial de Medicina Veterinária de Pequenos Animais (World Small Animal Veterinary Association – WSAVA). O documento sugere que todos os pacientes passem por uma avaliação nutricional e recebam recomendações nutricionais específicas a cada visita ao consultório. Sendo determinado como o 5° Parâmetro Vital (5VA), acompanhando os outros quatro sinais vitais no exame clínico – temperatura, pulso, respiração e avaliação da dor. 

A avaliação nutricional deve ser realizada em duas etapas (WSVA, 2010): 

  • A avaliação de triagem é realizada em todos os pacientes
    – Animais saudáveis e sem fatores de risco não necessitarão de avaliações nutricionais adicionais. Importante para avaliar a condição corporal atual e suas mudanças ao longo do tempo e construir histórico do paciente.

  • A avaliação aprofundada é realizada quando, na avaliação de triagem, encontra-se ou suspeita-se de um ou mais fatores de risco relacionados à nutrição, como:
    desnutrição
    – sobrepeso e obesidade 

Durante o processo de avaliação nutricional, além do uso de questionários para determinar hábitos do tutor e do animal, existem algumas mensurações que o Médico-Veterinário deve considerar: 

  • peso corporal  
  • escore Corporal  
  • índice de massa muscular  

O que é o escore de condição corporal? 

A avaliação de escore corporal é um método subjetivo e semi quantitativo de avaliar a composição corporal. Leva em consideração a estrutura corporal, independentemente do peso corporal. Envolve uma avaliação simples das características visuais e palpáveis da gordura em vários locais do corpo (Santarossa, 2017). 

Existem numerosos métodos para quantificar a composição corporal e a massa de gordura corporal. Eles envolvem o uso de características visuais e palpáveis semelhantes, mas diferem no intervalo da escala para cada sistema de pontuação. Escore corporal é o método mais aceito e prático de avaliação da condição corporal: usando avaliação visual e palpação é possível prever a condição de acúmulo de gordura corporal do animal (Otsuji & Koizumi, 2017; Santarossa, 2017; Chun, et al., 2019). 

O escore corporal destina-se a padronizar a avaliação para saber se os animais estão abaixo, acima ou com o peso ideal e é baseado em uma escala entre 1 a 5 ou 1 a 9, em que 1 é um animal emaciado e 5 ou 9, muito acima do peso (Otsuji & Koizumi, 2017). 

No sistema de 9 pontos, cada avanço na escala é associado a um aumento de 5% na gordura corporal. Já foi demonstrado correlação massa de gordura corporal determinada por absorciometria de raios X de dupla energia (DEXA). A DEXA é o método referência para determinar a composição corporal de humanos, atualmente é considerada o melhor método disponível para estimativa in vivo da composição corporal de cães e gatos (German, 2016; Santarossa, 2017).  

Existe diferença entre o escore corporal dos cães e dos gatos? 

Há diferença entres os locais de avaliação de escore corporal para cães e gatos. Os locais de avaliação para gatos incluem a caixa torácica, área lombar, abdômen (incluindo gordura abdominal) e cintura. Para cães incluem caixa torácica, ossos pélvicos, área lombar, abdômen e cintura (Santarossa, 2017). 

Como avaliar o escore corporal durante a consulta veterinária: confira o passo a passo

  1. Conheça a tabela de ECC de 1-9

É importante que toda a equipe veterinária se familiarize com a tabela e suas informações. Abaixo, observe a tabela de ECC de 1-9 para cães e gatos com as respectivas características de cada escore para a correta pontuação.

Escore de Condição Corporal - cães

 

Escore de Condição Corporal - gatos

  1. Confira o peso do animal já na recepção

Assim que o gato ou cão chega à clínica, a equipe veterinária inicia o registro dos dados do paciente e do tutor no sistema. Nessa fase de identificação há, geralmente, a pesagem do animal e inclusão deste dado no prontuário do paciente. É nessa hora também que a equipe veterinária deve fazer a avaliação do escore corporal (WSAVA, 2010; Cline et., al. 2021). 

Essa análise ainda não deve ser compartilhada com o tutor. Simplesmente, deve-se registrar o peso e, ao lado, o escore corporal. É apenas uma questão de hábito, uma vez que a adequação dessa prática na rotina é simples e fácil, porém extremamente valiosa (WSAVA, 2010; Cline et., al. 2021). 

  1. Deixe que o tutor sinalize sua percepção quanto ao escore corporal do pet

O uso da escala de 9 pontos sem a descrição permite que o tutor sinalize a sua percepção e facilite a tomada de consciência do estado corporal do seu animal (Cline et., al. 2021). 

Escore de Condição Corporal

Dicas para orientar o tutor quanto à necessidade de manter o escore corporal adequado 

 O Médico-Veterinário deve orientar o tutor sobre a necessidade de manter o escore corporal adequado. Abaixo temos uma série de dicas para manter o escore corporal adequado (German, 2022):   

  • controlar a ingestão de energia
    – fornecimento de alimento completo e balanceado que irá atender ao novo estágio da vida do animal;
  • medição precisa do tamanho da porção
    – as porções de alimentos devem ser medidas com a maior precisão possível, especialmente com dietas secas, pois sua densidade energética significa que mesmo pequenas superestimativas podem significar superalimentação significativa;
  • alimentação responsável de alimentos adicionais
    – evitar o fornecimento de petiscos e restos de comida;
  • método e padrão de alimentação
    – recomendar o uso de comedouros tipo quebra-cabeça ou tigelas de alimentação modificadas que retardam a ingestão de alimentos; isso pode reduzir o risco de comer demais;
  • aumento do gasto energético
    – a quantidade exata de atividade física deve ser adaptada ao indivíduo e deve levar em consideração quaisquer preocupações médicas concomitantes.

Recomendações gerais de manejos 

Dadas as muitas consequências negativas para a saúde que surgem quando um animal de estimação não está em uma condição corporal ideal, é importante que os Médicos-Veterinários comuniquem aos tutores que seu animal de estimação está abaixo do peso, acima do peso ou obeso (Santarossa, 2018).   

O médico-veterinário deve concentrar-se mais na prevenção da obesidade e na manutenção do escore corporal adequado. Isso pode ser feito através de três componentes principais (German, 2022):  

  • identificação de  indivíduos “em risco” antes que a obesidade se desenvolva 
  • monitoramento proativo de indivíduos em risco por toda a vida  
  • promoção da manutenção de um peso e estilo de vida saudáveis 

linha Satiety Royal Canin

A ROYAL CANIN® tem o compromisso de oferecer alimentos de alta eficácia para o controle de peso em pets e auxiliar na manutenção do escore corporal. SATIETY® é resultado de uma formulação aprimorada, de alta precisão nutricional desenvolvida com as mais avançadas tecnologias em parceria com uma rede global de especialistas.

Nossa missão é garantir a perda de peso em gatos e cães de forma saudável, contribuindo para a qualidade de vida, bem-estar e longevidade dos animais domésticos. Conheça a linha completa de soluções nutricionais para controle de peso em pets, e facilite a prescrição utilizando nossa Calculadora para Prescrição. 

Referências Bibliográficas 

Chun J.L., Bang H.T., Ji S.Y., Jeong J.Y., Kim M., Kim B., Lee S.D., Lee Y.K., Reddy K.E., Kim K.H. A simple method to evaluate body condition score to maintain the optimal body weight in dogs. J Anim Sci Technol. 61(6). 366-370 p. 2019. Disponivel em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6906133/ Acesso em 12/03/2023 

German, A. Management of the obese dog or cat. In: Clinical Medicine of the Dog and Cat, 3rd edition, 1079 – 1093 p. 2016 

German, A. Pet obesity: new challenges, new solutions. Veterinary Focus, 31 (2), 2022. Disponivel em: https://vetfocus.royalcanin.com/en/scientific/pet-obesity-new-challenges-new-solutionsAcesso em: 12/03/2023 

Otsuji, K. & Koizumi, A. Body condition scoring in dogs. Veterinary Focus, 27 (2), 10-11p. 2017. 

Saito, E.K., Co-morbidity of overweight and obesity in dogs and cats. Veterinary Focus, 24 (3), 2021. Disponivel em: https://vetfocus.royalcanin.com/en/scientific/co-morbidity-of-overweight-and-obesity-in-dogs-and-cats Acesso em 13/03/2023 

Santarossa, A., Parr, J. M., & Verbrugghe, A. The importance of assessing body composition of dogs and cats and methods available for use in clinical practice. Journal of the American Veterinary Medical Association, 251(5), 521–529 p. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6237266/ Acesso em: 12/03/2023 

Santarossa, A, Parr, J. M., & Verbrugghe, A. Assessment of canine and feline body composition by veterinary health care teams in Ontario, Canada. Can Vet J. 59(12), 1280-1286 p. 2018. Disponivel em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6237266/ Acesso em: 12/03/2023 

WSAVA.  Diretrizes para a Avaliação Nutricional. 2010. Disponivel em: https://wsava.org/wp-content/uploads/2020/01/Global-Nutritional-Assesment-Guidelines-Portuguese.pdf Acesso em 12/03/2023