Cuidados com filhotes: pontos críticos na saúde de gatos e cães

Cuidados com filhotes: pontos críticos na saúde de gatos e cães
×

Links rápidos:

Cada etapa de desenvolvimento dos filhotes de gatos e cães necessita de manejos específicos, representando um desafio relevante e cotidiano na clínica. E alguns pontos, como veremos a seguir, merecem atenção dos Médicos-Veterinários e tutores para que os filhotes possam se desenvolver de forma saudável e com mais qualidade de vida na fase adulta

Os primeiros meses de vida de filhotes de gatos e cães constituem um período que requer alguns cuidados específicos para a manutenção da saúde e das funções do organismo, promovendo o bem-estar, além do crescimento e do desenvolvimento adequado.

O manejo dos filhotes inicia ainda durante a gestação. Portanto, para que a fêmea tenha uma prenhez tranquila e sem complicações, deve ter alguns manejos específicos para a manutenção do seu peso corporal ideal, evitando complicações para a própria saúde e também para os filhotes, como os partos distócicos, neonatos com hipotermia e outros problemas (PINOW, 2021). A realização do pré-natal é primordial para diagnosticar e tratar essas e outras possíveis complicações de forma precoce.

No pré-natal, o Médico-Veterinário deve realizar a avaliação para acompanhamento da gestação, associando a anamnese aos exames físicos e complementares, como os de sangue para hemograma, análise bioquímica e dosagens hormonais, além das ultrassonografias e raio-X, conforme recomendação. O profissional também deve identificar se o manejo nutricional fornecido está suprindo as necessidades da cadela e dos filhotes, pois o alimento deve ser balanceado, incluindo maior teor de proteínas, gorduras, vitaminas e minerais (KROLOW et al, 2021).

Nos primeiros dias de vida, os filhotes são dependentes dos cuidados maternos e, por não possuírem um sistema imunológico já fortalecido, devem ingerir o colostro nas primeiras horas de vida e, posteriormente, serão amamentados com o leite materno, que é rico em nutrientes primordiais para o fortalecimento da imunidade, saúde digestiva, crescimento e desenvolvimento adequado dos ossos e musculatura do filhote (PINOW, 2021).

Os cuidados com filhotes devem ser específicos nas diferentes fases. Por exemplo, logo após o nascimento é importante atentar-se ao controle adequado da temperatura, já que eles ainda não possuem a função termorreguladora completamente desenvolvida. A fase de desmame também requer cuidados específicos, pois é nessa fase que irá ocorrer a transição da dieta do animal.

Todos esses cuidados, principalmente relacionados à alimentação, podem contribuir para a prevenção de diversas doenças e influenciar a saúde desses animais de forma permanente no futuro. Alguns cuidados devem ser implementados desde a gestação e também no início da vida do animal para que ele possa se desenvolver de forma harmoniosa e se tornar um adulto saudável.

Neste artigo, veremos detalhes sobre alguns pontos críticos que estão relacionados à saúde de filhotes de gatos e cães de todas as raças, porte e estilos de vida, incluindo:

  • cuidados essenciais para a formação e o fortalecimento do sistema imunológico;
  • manejos nutricionais para a segurança e saúde digestiva dos filhotes;
  • como a alimentação inadequada pode impactar no crescimento e desenvolvimento dos ossos e músculos.

1. Sistema imunológico dos filhotes

Os filhotes ainda não possuem o sistema imunológico completamente desenvolvido para combater infecções e outras doenças (PINOW, 2021).

Por este motivo, a alimentação que ocorre por meio da amamentação se faz extremamente necessária para o desenvolvimento do sistema imunológico do animal. Através da ingestão do colostro logo nas primeiras horas após o nascimento e do leite materno, o filhote irá obter nutrientes essenciais para o seu crescimento e desenvolvimento saudável (KROLOW et al, 2021).

Cuidados com os neonatos

No período neonatal, os filhotes são indefesos e totalmente dependentes dos cuidados e nutrição fornecidos pelas suas mães. É fundamental que os filhotes ingiram o colostro nas primeiras 24 horas após o nascimento, pois isso irá conferir imunidade passiva nas primeiras semanas de vida por meio da transferência dos anticorpos maternos (KROLOW et al, 2021).

Os neonatos necessitam de cuidados específicos para estarem protegidos. Além da amamentação, devem estar em ambiente sem a exposição solar e da chuva, local arejado, confortável, aquecido e com umidade adequada para estimular a respiração autônoma.

Uma das fases de maior fragilidade do filhote ocorre por volta de 4 semanas de vida, período no qual a imunidade passiva começa a declinar, ao mesmo tempo em que o filhote ainda não construiu sua própria defesa. Neste momento ocorre a janela imunológica. O animal começa a produzir seus próprios anticorpos a partir da 5ª semana, aproximadamente, atingindo um nível satisfatório por volta dos 3 meses de idade e após as vacinações necessárias.

Atenção no desmame de cães e gatos

No período de desmame, o leite materno passa a ser insuficiente para suprir as altas demandas energéticas e nutricionais dos filhotes. Neste momento, inicia-se a introdução gradual dos alimentos úmidos e secos, que são aliados de extrema importância para garantir que o animal cresça e se desenvolva de forma saudável, prevenindo afecções e garantindo que todas as necessidades alimentares e nutricionais dos filhotes sejam supridas.

Os nutrientes da dieta do filhote irão contribuir para o crescimento dos dentes de leite, desenvolvimento das funções digestivas, além de desempenhar outras funções que são essenciais no reforço das defesas naturais, de modo que o indivíduo seja capaz de desenvolver a própria proteção imunológica.

Além disso, a inclusão de antioxidantes confere proteção às células contra a ação dos radicais livres e, por isso, esses nutrientes também devem estar presentes na fórmula destes alimentos.

Além do manejo nutricional dos filhotes, é imprescindível fornecer a cadela uma alimentação adequada neste momento de desmame dos filhotes, evitando quadros de sobrepeso, obesidade e outras doenças.

Para auxiliar a dieta nessa fase, a ROYAL CANIN® oferece o alimento Mother & Babycat. Ele facilita o desmame por contar com croquetes pequenos e facilmente reidratáveis e é composto por nutrientes que auxiliam as defesas naturais do filhote, estimulam o bom equilíbrio da flora intestinal e tem ótima digestabilidade. É um alimento completo para para gatos filhotes de 1 a 4 meses de idade, gatas gestantes e em lactação.

alimento Mother Baby Cat nas versões seca e úmida

Filhotes com baixa imunidade

Como já vimos, filhotes de gatos e cães ainda não possuem completamente desenvolvidas as defesas imunológicas e termorreguladoras. Com isso, caso não ocorra a ingestão do colostro e posteriormente do leite materno, poderão ter graves comprometimentos na função imunológica, tornando-os menos capazes de combater infecções causadas por vírus, bactérias e parasitas e até mesmo dificultando a sobrevivência à elas (KROLOW et al, 2021).

No caso da impossibilidade da ingestão do leite materno, esses animais precisam ser alimentados inicialmente a cada duas horas com um leite específico para filhotes de cães e gatos. Os leites de vaca ou de cabra não devem ser fornecidos, pois os níveis de proteína, gordura e minerais são inadequados aos filhotes de gatos e cães, podendo causar diarreia e outros problemas de saúde, incluindo o óbito do animal.

Os filhotes com baixa imunidade também se tornam mais suscetíveis, por serem mais frágeis, ao desenvolvimento de outras doenças não-infecciosas, como traumas, hipotermia, hipoglicemia, hipóxia, prematuridade, doenças genéticas e intoxicações (KROLOW et al, 2021).

É recomendado que o cão e o gato com baixa imunidade realizem acompanhamento periódicos com o Médico-Veterinário para tratamento adequado que vise fortalecer o sistema imunológico do animal.

2. Saúde digestiva dos filhotes

A digestão em filhotes é mais sensível quando comparada aos adultos. As enzimas que participam do processo digestivo ainda estão em baixa atividade nesta etapa da vida. Além disso, o trato gastrointestinal ainda está em processo de transição, considerando sua permeabilidade e maturidade. Com isso, filhotes se tornam mais susceptíveis aos distúrbios digestivos.

Mudanças rápidas, além de outras causas (como agentes infecciosos), podem levar ao surgimento de fezes amolecidas, diarreia e/ou vômitos.

Nessa fase, a microbiota intestinal está se formando para desenvolver um ecossistema microbiano balanceado que fornecerá estímulos para o desenvolvimento do sistema imunológico do filhote, ajudando na defesa contra enteropatógenos invasores e conferindo diversos benefícios nutricionais ao animal.

Mais uma vez, é importante ressaltar que a ingestão de colostro é primordial para o desenvolvimento do sistema imunológico do filhote (KROLOW et al, 2021). Entretanto, em alguns casos essa ingestão não é possível, como em casos de filhotes órfãos, rejeitados por suas mães, ninhada muito numerosa ou até mesmo, produção insuficiente e leite materno.

A utilização do sucedâneo para gatos e cães é uma excelente alternativa para nutrir e proteger os filhotes que não possuem os cuidados maternos na fase de amamentação (KROLOW et al, 2021).

Entretanto, a segurança digestiva dos filhotes depende de alguns fatores, como:

  • digestibilidade dos ingredientes utilizados na formulação da dieta: o alto aproveitamento dos nutrientes ingeridos, além de ser importante para suprir as necessidades energéticas e nutricionais, também contribui para que haja menos resíduo alimentar não digerido no trato gastrointestinal, auxiliando no fluxo intestinal e na formação de fezes de bom aspecto;
  • inclusão de nutrientes que promovam saúde digestiva, como prebióticos e mix de fibras solúveis, insolúveis, fermentáveis e não-fermentáveis, pois quando combinadas atuam sinergicamente na promoção de saúde intestinal.

Nessa fase, qualquer alteração no manejo alimentar deve ser conduzida de acordo com as recomendações do Médico-veterinário e de forma gradativa em um período médio de 7 dias, embora alguns animais possam necessitar de mais tempo. Ou seja, é possível realizar a transição alimentar, adicionando uma pequena porção da dieta nova à dieta habitual do filhote e a proporção do novo alimento deve ser gradualmente aumentada, ao mesmo tempo em que se diminui a proporção do alimento anterior.

Oferecer a quantidade diária fracionada em pequenas refeições ao longo do dia também ajuda o sistema digestivo a se adaptar às mudanças e contribui para evitar desarranjos gastrointestinais nos filhotes.

Linha de alimentos para filhotes caninos

3. Crescimento acelerado de ossos e músculos

O crescimento tecidual em filhotes é intenso e rápido, mas a taxa desse crescimento irá variar de acordo com a espécie (gato ou cão) e com o porte do animal.

Essa etapa de vida exige que seja fornecido alimento com alto teor energético, alta proteína e alta gordura, além do correto balanceamento de vitaminas e minerais, com o objetivo de suportar os processos anabólicos que acontecem em velocidade acelerada e evitar que ocorram deficiências ou excessos de nutrientes que podem desencadear diversas afecções e problemas de saúde, como a desnutrição, anemia, sobrepeso e obesidade, toxicidade e até mesmo o óbito (KROLOW et al, 2021).

Além disso, caso a quantidade de alimento e de nutrientes que é fornecido ao filhote seja excessiva, o crescimento dos ossos pode ocorrer de forma mais acelerada, contribuindo para o desenvolvimento de possíveis problemas ortopédicos e articulares no pet.

Os filhotes alimentados com dieta sem um nível suficiente de cálcio podem desenvolver ossos frágeis que facilmente poderão sofrer fraturas, enquanto o excesso de cálcio também poderá levar a problemas, incluindo articulares. É imprescindível oferecer ao filhote alimento completo e balanceado específico para cada fase de sua vida. Além disso, a suplementação de qualquer nutriente além dos contidos no próprio alimento é contraindicada.

O alimento fornecido ao filhote que já passou pelo desmame pode ser seco ou úmido e deve conter em sua formulação os níveis mínimos e máximos de nutrientes, vitaminas ou minerais visando o bom funcionamento do organismo e desenvolvimento saudável durante a curva de crescimento (KROLOW et al, 2021).

O ideal é que durante a curva de crescimento, o desenvolvimento do filhote seja acompanhado de perto pelo Médico-Veterinário para que sejam avaliadas as condições gerais e individuais de saúde do animal. Aqui no Portal VET já fizemos um artigo que mostra ferramentas para o acompanhar o crescimento dos filhotes e como utilizá-las. Reveja e entenda mais sobre a importância de acompanhar de perto a curva de crescimento de gatos e cães.

Mais detalhes da alimentação dos filhotes

Como já é sabido, os filhotes possuem necessidades nutricionais muito específicas e que são diferentes dos adultos, pois estão crescendo e desenvolvendo os seus sistemas digestivo e imunológico. Veja mais detalhes a respeito da nutrição desses animais.

A importância da nutrição para os gatos filhotes

Os filhotes necessitam de uma dieta com maior teor de energia e proteína. O felino necessita do equilíbrio certo de proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais que vão estimular o seu desenvolvimento de forma saudável. Apenas uma dieta balanceada fornece aminoácidos essenciais, como a taurina, e que não podem ser sintetizados pelo organismo.

Saiba como fazer o manejo dietético para cada fase do gato filhote:

  • Do nascimento até 4 meses: a dieta deve ser rica em antioxidantes para auxiliar no desenvolvimento do sistema imunológico. O desmame é feito por volta da 6ª semana de vida. A transição para os alimentos secos ou úmidos deve ser gradual e o alimento deve ser próprio para filhotes, não só pela textura, mas pelos índices nutricionais contidos no produto.
  • De 4 a 12 meses: os sistemas digestivo e imunológico ainda são frágeis, mas estão mais fortalecidos. Há uma redução na taxa de crescimento e das necessidades de energia. O manejo nutricional deve ser observado de perto pelo Médico-Veterinário para ajuste da quantidade e tipo de alimento, evitando o fornecimento inadequado de nutrientes, que pode resultar em diversas afecções, como a anemia e outras.

Linha de alimentos para filhotes felinos

Os cuidados com os cães filhotes de acordo com o porte

Os cães necessitam de cuidados específicos de acordo com suas raças e portes, pois algumas raças possuem maior predisposição a certas afecções. Uma alimentação equilibrada e nutritiva é uma aliada na prevenção desses casos.

Sabe-se também que o crescimento do cão irá variar conforme o seu porte e esses filhotes não irão crescer da mesma forma, sendo necessário adaptar o tipo nutricional para cada indivíduo.

  • Porte mini: são os cães que chegam até 5kg e geralmente crescem até os 10 meses de idade.
  • Porte pequeno: são os cães que pesam de 6 a 10kg e geralmente crescem até os 12 meses de idade.
  • Porte médio: são os cães que pesam de 11 a 25kg e geralmente crescem até os 12 meses de idade.
  • Porte grande: são os cães que pesam de 26 a 45kg. Eles demoram mais para se desenvolverem e geralmente crescem até os 15 meses de idade.
  • Porte gigante: são os cães que pesam acima de 45kg. Eles demoram mais para se desenvolverem e geralmente crescem até os 18 meses de idade.

Alimentos Royal Canin para cães filhotes

Durante o período em que os cães são considerados filhotes, de acordo com cada porte, é recomendado que o manejo nutricional seja realizado com alimentos específicos para filhotes.

Oferecer o tipo de alimento adequado previne possíveis afecções, principalmente para os animais que possuem predisposição para certas afecções, como por exemplo, os problemas articulares e nos ossos de cães de porte grande e gigante.

A importância do tutor nos cuidados com o filhote

Atentar-se aos pontos críticos na saúde de filhotes de gatos e cães, bem como promover os cuidados necessários nesta etapa de vida são medidas que irão exercer impacto positivo na saúde e bem-estar destes animais, permitindo que se tornem adultos fortes e saudáveis.

O Médico-Veterinário deve orientar o tutor sobre as principais formas de manejo da fêmea e dos filhotes:

  • oferecer para a cadela e para a gata água limpa, de fácil acesso e em abundância para favorecer a produção do leite materno;
  • fêmeas gestantes devem realizar o pré-natal para acompanhamento e identificação precoce de possíveis problemas que podem ocorrer durante a gestação, como malformações, abortos, distocias, reabsorção embrionária, retardo no crescimento intra-uterino e imunocomprometimento e até mesmo o óbito da fêmea (KROLOW et al, 2021);
  • os neonatos são totalmente dependentes dos cuidados maternos. Portanto, o tutor não deve separar a mãe dos filhotes e deve garantir que eles estejam em ambiente protegido e longe do sol, chuva e vento;
  • os neonatos devem estar aquecidos em temperatura adequada e devem fazer a ingestão de colostro (ou sucedâneo) logo nas primeiras 24h após o parto e posteriormente amamentados exclusivamente com o leite materno da sua espécie (gata ou cadela) ou leite comercial próprio para pets;
  • ajustar o manejo nutricional da fêmea e dos filhotes para as necessidades da gestação, período neonatal e também durante a amamentação, desmame e evolução da curva de crescimento.

A ROYAL CANIN® se dedica há mais de 50 anos para compreender as reais necessidades nutricionais dos animais e possui alimentos de alta qualidade nutricional para filhotes de gatos e cães. As diferentes fórmulas para filhotes entendem os pontos críticos desta etapa de vida e contribuem para o crescimento e desenvolvimento saudáveis destes animais.

A linha completa conta com alimentos úmidos e secos para filhotes de gatos e cães. As versões úmidas são altamente palatáveis, suportam a hidratação e ajudam em questões do trato urinário.

Além disso, os alimentos Puppy e Kitten úmidos e secos contam com nutrientes que contribuem para o fortalecimento do sistema imunológico, como as vitaminas C e E. Ainda são enriquecidos com ácido graxo ômega 3 (DHA) para apoiar o desenvolvimento cerebral do filhote e promover uma visão saudável. É interessante também ressaltar que a fonte de ômega-3 dos alimentos para filhotes é o óleo de alga e não o óleo de peixe. Trata-se de uma fonte natural e sustentável, que ajuda ainda a preservar a vida marinha.

Para completar, contribuem para o bem-estar do trato gastrointestinal do animal. Nas versões secas, há uma combinação de prebióticos (MOS) e proteínas altamente digestíveis para ajudar a promover um equilíbrio saudável da microbiota intestinal para a saúde digestiva.

Saiba mais sobre o manejo da cadela gestante e também os cuidados necessários com a gata gestante. E utilize nossa Calculadora para Prescrições para facilitar a prescrição personalizada dos nossos alimentos para seus pacientes!

Referências bibliográficas

HILL, R.; BUTTERWICK, R. WALTHAM® Livro de bolso sobre nutrição e cuidados de filhotes de cães. WALTHAM®, 2012.

MALANDAIN, E.; LITTLE, S.; CASSELEUX, G.; SHELTON, L.; PIBOT, P.; PARAGON, B.M. Guia prático de criação de gatos. ROYAL CANIN®, 2013.

ROYAL CANIN® Guia do Filhote: as atitudes essenciais para um bom começo na vida. ROYAL CANIN®, 2010.

PINOW, Ana Clara Silva. et al. Exigências nutricionais de cães filhotes: Revisão. PUBVET, v. 15, n. 05, p. 01-11, 2021. Disponível em: https://web.archive.org/web/20210610085714id_/http://www.pubvet.com.br/uploads/c9b10b4a64f7c6f07d4c654836d8b0cb.pdf. Acesso em: 20 jun. 2022.

KROLOW, Mariana Timm. et al. A importância do planejamento nutricional na alimentação de cães e gatos domésticos ao longo de seu ciclo biológico: Uma revisão. Research, Society and Development, v. 10, n. 09, p. 01-16, 2021. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18341. Acesso em: 20 jun. 2022.