Por que gatos precisam de uma clínica com atendimento específico?

Por que gatos precisam de uma clínica com atendimento específico?

Gatos possuem comportamentos e necessidades diferentes de outros animais e, portanto, requerem muito além de um atendimento especializado. Saiba mais

Há mais de 50 anos grandes avanços têm ocorrido na medicina felina. Cada vez mais Médicos-Veterinários procuram especializações na área. São lançadas inúmeras oportunidades de educação continuada, congressos, simpósios, revistas e livros dedicados apenas à medicina felina. Sem dúvidas, o conhecimento do profissional e equipe sobre as características, hábitos, enfermidades e tratamentos de gatos aumentou significativamente. Porém, há uma real desconexão entre os avanços na medicina felina e a rotina clínico-hospitalar específica para gatos. Adaptar as normas e os procedimentos do hospital para o atendimento do paciente felino, traz benefícios ao tutor, ao gato e ao Médico-Veterinário. Para isso, primeiramente deve-se ter em mente as características inerentes à espécie que a torna extremamente única e singular.

Por que uma clínica para gatos?

Entender como os gatos reagem em relação à visita na clínica ou a uma “simples” consulta é fundamental para lidar da melhor forma com esses pacientes. Porém, para que a equipe veterinária e o tutor saibam disso é importante o conhecimento prévio sobre fisiologia e comportamento felinos. O gato possui um grande vínculo com seu lar, portanto, quando forçado a estar em um ambiente desconhecido ele se sente inseguro, ansioso e estressado. O comportamento natural frente a essa situação é fugir ou se esconder. Para evitar esse comportamento é indicado que o gato inicie as visitas à clínica desde filhote. Nessa fase, a probabilidade do animal apresentar ansiedade é menor, sendo assim, há uma maior facilidade de criar um vínculo positivo entre tutor, animal e ambiente clínico. A implementação de abordagens para a criação de um ambiente acolhedor e seguro para o gato, assim como técnicas simples de manejo desde o transporte à clínica até a hospitalização, quando necessária, favorecem o bem-estar animal e o atendimento de excelência, gerando uma experiência positiva para todos. Além disso, os cuidados e instalações devem ser setorizados por fase de vida, facilitando a detecção de qualquer problema precocemente e estreitando a interação humano-animal. Por exemplo, um ambiente tipo “creche para filhotes” pode ser criado na sala de espera com brinquedos atrativos para a espécie a fim de gerar uma experiência positiva para o animal e tornar as futuras visitas mais agradáveis.

Muitos tutores evitam as visitas à clínica porque receiam que isso ocasionará um estresse excessivo ao gato. Com isso, o acompanhamento Médico-Veterinário que envolve também a prevenção de doenças e não apenas tratamento, fica em segundo plano. Porém, há evidências na medicina humana que o frequente acompanhamento clínico do paciente e a busca precoce de doenças relacionadas à espécie, idade ou condição específica são essenciais para um melhor prognóstico, mais bem-sucedido tratamento e, consequentemente, melhor qualidade de vida e longevidade. Assim, o preparo de 3 pilares, tutor, equipe veterinária e gato, para tornar os atendimentos periódicos e prazerosos é essencial.

Os 3 pilares: tutor, equipe veterinária e gato

O tutor deve ser orientado com clareza e detalhes sobre como conduzir o animal à clínica e como lidar com ele no interior desse ambiente. A equipe veterinária, um dos pilares mais importantes, deve estar totalmente preparada para o atendimento do gato e seu tutor. Isso se inicia com o atendimento telefônico pela recepção e se estende à toda a equipe no interior da clínica. O conhecimento de medicina felina pelo Médico-Veterinário é fundamental, mas está longe de ser o único responsável por uma experiência positiva. A estrutura clínico-hospitalar tem que ser acolhedora e exclusiva para felinos. Como último pilar, o gato deve apenas se familiarizar com o ambiente e criar um vínculo positivo com o local, equipe veterinária e procedimentos realizados. Uma outra vantagem dos check ups seriados é o elo de confiança construído entre a equipe veterinária e tutor. A relação de segurança entre ambos permitirá o melhor fluxo para acompanhamento do caso, seja apenas para relatos sinceros de quais alimentos estão sendo fornecidos ao animal em casa, até o volume de água que o gato está tomando por dia. Sabemos que esses registros são importantes para auxiliar o Médico-Veterinário na conduta terapêutica e, caso esses relatos sejam falhos ou confusos, o tratamento ou orientações terão grandes chances de não serem bem-sucedidos. Assim, o alinhamento de todos é determinante para o sucesso do atendimento.

Com o aumento do número de gatos no mundo é importante que todos os envolvidos estejam cada vez mais preparados para lidar com esses animais. Todas as medidas para estimular os felinos a visitarem a clínica são válidas. Além disso, todas as adaptações estruturais e de equipe para a recepção acolhendo a espécie na clínica também são fundamentais. Tudo isso para proporcionar um atendimento de excelência, um vínculo estreito entre equipe veterinária e tutor, e, consequentemente, bem-estar e qualidade de vida para o gato.

 

Referência bibliográfica

Little, S. Por que é necessário que a sua clínica tenha um enfoque felino? Vet.Focus,vol26,n2,40-5,2016.