Como fazer da nutrição uma aliada na integridade da barreira cutânea

Como fazer da nutrição uma aliada na integridade da barreira cutânea

Fortalecer a barreira cutânea auxilia no tratamento das enfermidades dermatológicas de gatos e cães, e apostar na nutrição adequada pode ser uma boa estratégia para ter pele e pelagem saudáveis. Veja os principais nutrientes envolvidos na integridade da barreira cutânea e saiba mais sobre o tema

A pele é o maior e um dos mais importantes órgãos do corpo, sendo a barreira epidérmica a principal linha de defesa contra o ambiente externo. A pele apresenta como principais funções:

  • Proteção contra agentes externos
  • Proteção dos tecidos subjacentes
  • Regulação da temperatura corpórea
  • Manutenção da hidratação
  • Reserva de nutrientes
  • Sensorial (tato)

Em condições normais, a pele é praticamente impermeável e evita infecções e a penetração de alérgenos. Entretanto, alguns fatores que alteram a integridade da epiderme podem resultar, rapidamente, em infecção cutânea e/ou inflamação. E isso é comum, tanto que as doenças de pele são responsáveis por uma em cada cinco consultas ao médico veterinário.

As dermatites alérgicas são as principais responsáveis por essas consultas, sendo as mais frequentes:

  • Dermatite alérgica à picada de ectoparasitas (DAPE)
  • Reação adversa ao alimento
  • Dermatite atópica

É importante considerar que anormalidades da barreira epidérmica podem ser consequências de doença inflamatória cutânea, mas também um fator desencadeante em alguns casos primários. Estados que enfraquecem a barreira cutânea favorecem a penetração de agentes externos como bactérias, fungos e outros alérgenos. Alguns indivíduos carregam alterações genéticas que os predispõem a essa fragilidade. Eles possuem uma falha na produção de ceramidas, o que altera a estrutura da pele deixando-a desidratada e permite a penetração de patógenos. Deficiências nutricionais também aumentam a fragilidade da pele e favorecem infecções.

A barreira cutânea é formada principalmente por corneócitos (células anucleadas) e ceramidas (porção lipídica). Se a comparássemos com uma parede, os corneócitos seriam tijolos e as ceramidas uma espécie de cimento (Figura 1).

detalhes da barreira cutânea
Figura 1: Ilustração da barreira cutânea e sua estrutura. Fonte: ROYAL CANIN®, 2011

Dessa forma, fortalecer a barreira epidérmica auxilia na diminuição de ocorrência de enfermidades cutâneas e também ajuda no restabelecimento da integridade da pele para melhora de quadros dermatológicos.

Nutrição como aliada

Os elementos da barreira cutânea conferem uma estrutura ideal para minimizar a perda de água transepidérmica. Uma vez alterada, ela deixará de ser eficiente e permitirá a perda de água transepidermal, o que a tornará a pele mais permeável à penetração de agentes infecciosos.

Aqui entra o papel da nutrição. Para fortalecer a barreira cutânea, algumas estratégias nutricionais devem ser estipuladas, como utilizar nutrientes que vão reforçar a integridade da barreira.

Nutrientes que ajudam a fortalecer a barreira cutânea

1. Proteína e aminoácidos

A renovação da pele depende grandemente da quantidade e da qualidade de proteína ingerida, já que de 25 a 30% das necessidades proteicas diárias são destinados à renovação cutânea e ao crescimento do pelo. A pele, por possuir um turnover (taxa de renovação) celular bastante intenso, necessita receber quantidades ideais de nutrientes para que sua estrutura e funções sejam adequadamente mantidas. Fontes proteicas de altíssima absorção e, portanto, de elevada digestibilidade, em quantidades recomendadas para a espécie, são essenciais para uma pele saudável e uma barreira cutânea íntegra.

2. Ácidos graxos poliinsaturados

A combinação de ácidos graxos, colesterol e ceramidas é altamente organizada para formar folhas (lamelas lipídicas) com estrutura definida, e é a qualidade desses lipídios que determina a permeabilidade da epiderme.

Os ácidos graxos poliinsaturados fornecem substrato para a produção de sebo que protege a derme e melhora a qualidade da pelagem. O ácido linoleico, um ácido graxo ômega 6, parece ser o mais importante para esse efeito. Os ácidos graxos ômega 3, como o ácido eicosapentaenóico (EPA) e o ácido docosahexaenóico (DHA), podem reduzir uma inflamação secundária para uma doença alérgica em cães e gatos acometidos. A ceramida-1 contém ácido linoleico e, por essa razão, acredita-se que esse ácido graxo tenha papel importante na função da barreira cutânea.

3. Vitaminas e Minerais

Alguns minerais têm influência direta na qualidade da pele e da pelagem de cães e gatos. A deficiência de cobre pode causar uma pelagem seca e sem brilho com alteração de coloração (acromotriquia), por exemplo. O cobre está relacionado à maturação de colágeno e elastina, formação de queratina e síntese de melanina. A deficiência de zinco causa alopecia, úlceras na pele e áreas de espessamento e rachadura cutâneas, principalmente nas regiões articulares e de coxins.

No Quadro 1 estão algumas vitaminas e minerais que são importantes para a manutenção de uma pele saudável.

 

Vitamina ou mineral Importância para a saúde da pele e pelagem
Vitamina A Crescimento e reparo da pele
Vitamina E Protege as células das lesões oxidativas
Vitamina C Envolvida no processo de cicatrização tecidual
Biotina Síntese de aminoácidos e ácidos graxos essenciais
Riboflavina (B2) Necessária para o metabolismo de gordura e proteína
Zinco Necessário para o metabolismo de gordura e proteína
Cobre Envolvido na síntese de proteína e pigmento

Alguns estudos demonstraram que a suplementação alimentar com uma combinação sinérgica de nicotinamida, ácido pantotênico, histidina e colina aumentou a síntese de ceramidas em cultura de queratinócitos caninos.

Além disso, pode haver aumento significativo da síntese lipídica epidérmica no aumento dos níveis de nicotina, ácido pantotênico e histidina. Esse complexo de nutrientes também está relacionado à redução no trânsito de água epidermal, promovendo, assim, um grande benefício à integridade da pele.

Benefícios da nutrição para a barreira cutânea

Manter a integridade da barreira cutânea por meio de um perfil nutricional específico auxilia a manutenção de uma pele e pelagem saudáveis, além de contribuir com o tratamento de enfermidades dermatológicas comumente presentes na rotina clínica.

A ROYAL CANIN® possui alimentos completos e balanceados, que graças ao seu perfil nutricional formulado com máxima precisão, ajudam a manter uma pele e pelagem saudáveis.

Além disso, a ROYAL CANIN® produz alimentos coadjuvantes também em ambas as versões, secas e úmidas, que são uma parte essencial do tratamento de cães e gatos que sofrem de enfermidades dermatológicas. Aqui você encontra mais informações sobre os produtos Royal Canin®.

Referências bibliográficas

B.K. BERGVALL, K. HOLM, B.R. et al. A randomized, controlled study to evaluate the steroid sparing effect of essential fatty acid supplementation in the treatment of canine atopic dermatitis. Vet Dermatol, 15(3): 137-145, 2004.

CADESI©: Canine Atopic Dermatitis Extent and Severity Index (Índice de Extensão e Gravidade da Dermatite Atópica Canina). OLIVRY, T. et al. Veterinary Dermatology, 2007. Global Skin Score: “Evaluation of the pruritus in dogs with atopic dermatitis”. CORDAS, H. Veterinary thesis – ENVT, 2011.

Carciofi, A. C.; Dermatopatias nutricionais. Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da UNESP, campus de Jaboticabal, ano.  31f (Texto digitado).

Clark., J. Considering the epidermal barrier. Disponível em: https://veterinary-practice.com/article/considering-the-epidermal-barrier. Acessado em: 05/10/2020.

Downing, R. Nutrition, Skin, and Dogs. Disponível em: https://vcahospitals.com/know-your-pet/nutrition-skin-and-dogs Acessado em: 05/10/2020.

Estudo interno, ROYAL CANIN®, 2010-2011.

Hill, P. B., Lo, A., Eden, C. A. N., et al. Survey of the prevalence, diagnosis and treatment of dermatological conditions in small animals in general practice. Vet Rec. 158:533–539, 2006.

Hillier, A., Griffin, C. E. The ACVD taskforce on canine atopic dermatitis (I): incidence and prevalence. Vet Immunol Immunopathol. 2001.

Hobi, S., Linek, M., Marignac, G., Olivry, T., Beco, L., Nett, C. et al. Clinical characteristics and causes of pruritus in cats: a multicentre study on feline hypersensitivity-associated dermatoses. Vet Dermatol, 2011.

Kirby NA, Hester SL, Rees CA, et al. Skin surface lipids and skin and hair coat condition in dogs fed increased total fat diets containing polyunsaturated fatty acids. J Anim Physiol Anim Nutr 2009; 93:505-511.

LeBlanc, C. J., Horohov, d. w., Bauer, J. E., Hosgood, G.,Mauldin, G. E. Effects of dietary supplementation with fish oil on in vivo production of inflammatory mediators in clinically normal dogs. American journal of veterinary research 69, no. 4 (April): 486-93. doi:10.2460/ajvr.69.4.486, 2008.

Miller, C. C. Dietary supplementation with ethyl ester concentrates of fish oil (n-3) and borage oil (n-6) polyunsaturated fatty acids induces epidermalgeneration of local putative anti-inflammatory metabolites. Journal of investigative dermatology 96, 98-103, 1991.

Nutrition is important for a healthy skin and coat. Disponível em: https://www.iams.co.uk/articles/for-dogs/dog-articles/nutrition-is-important-for-a-healthy-skin-and-coat. Acessado em: 05/10/2020.

National Research Council. Nutrient Requirements of Dogs and Cats. Washington DC: National Academies Press, 2006.

Rees CA, Bauer JE, Burkholder WJ, et al. Effects of dietary flax seed and sunflower seed supplementation on normal canine serum polyunsaturated fatty acids and skin and hair coat condition scores. Vet Dermatol 2001; 12:111-117.

Shmalberg, J. Diets and the dermis: nutritional considerations in dermatology. Disponível em: https://todaysveterinarypractice.com/acvn-nutrition-notesdiets-dermis-nutritional-considerations-dermatology/ Acessado em: 05/10/2020.

Watson, A.I., Fray, T.R., Bailey, J., Baker, C.B., et al. Dietary constituents are able to play a beneficial role in canine epidermal barrier function. Exp Dermatol., 15(1):74-81, 2006.