Estratégias para tratamento de distúrbios gastrointestinais em felinos

Estratégias para tratamento de distúrbios gastrointestinais em felinos

Conheça melhor duas estratégias que, quando prescritas ao paciente e recomendadas ao tutor, podem auxiliar e muito a prevenção de problemas gastrointestinais

Na grande maioria dos problemas no trato gastrointestinal (TGI), as condutas médicas envolvem a prescrição de medicamentos associada às recomendações de manejo ambiental e nutricional. As medidas que trazem ao gato a sensação de estar em um ambiente seguro, no qual ele pode explorar os objetos e colocar em prática os hábitos naturais da espécie são grandes aliadas ao tratamento. Além disso, alimentar o animal com o produto e quantidade adequados e de forma correta também ajuda no sucesso da terapia.

Seguem algumas estratégias que podem ser associadas ao tratamento dos distúrbios no TGI de gatos:

Diminuir o estresse ambiental

Recomende ao tutor o enriquecimento ambiental para que o gato se sinta à vontade no seu território. Enriquecer o ambiente tem como objetivo torná-lo o mais natural possível aos felinos a fim de minimizar estresse, ansiedade e sedentarismo, e melhorar o bem-estar e qualidade de vida do gato. O estresse, assim como o sedentarismo, pode ser o gatilho de muitas doenças ou alterações no TGI de felinos. Por exemplo, um gato entediado pode levar mais tempo que o habitual se auto-higienizando. Consequentemente, a ingestão de pelos será maior e também mais elevada a probabilidade de formação das bolas de pelos.

À critério do Médico-Veterinário, algumas ou todas das seguintes medidas podem ser inseridas no ambiente:

  • Estantes
  • Arranhadores
  • Esconderijos
  • Enriquecimento sensorial
  • Brinquedos
  • Fontes de água, comedouros e caixas de areia dispersos pelas áreas que o gato tem acesso

Alimentação

O manejo nutricional adequado deve responder algumas perguntas:

Qual alimento?

O alimento ideal para o gato deve ser determinado levando em consideração raça, idade, condições fisiológicas e sensibilidades particulares do animal. Os alimentos completos e balanceados para raças possuem um perfil nutricional que atende exatamente às suas peculiaridades. Por exemplo, o Persa possui alta predisposição à formação de bolas de pelos devido ao seu comportamento calmo e, principalmente, pelagem longa. Assim, o alimento Persian da ROYAL CANIN→ tem um perfil nutricional que ajuda a evitar a formação das bolas de pelos. Além disso, a alimentação úmida pode ser, nesses casos de distúrbios gastrointestinais, uma grande aliada. Por conter mais de 80% de água na sua composição e ser altamente palatável, o alimento úmido pode auxiliar em casos de hipo ou anorexia e desidratação. Portanto, a associação do alimento apropriado para o paciente à terapêutica médica convencional auxilia o tratamento bem-sucedido dos distúrbios gastrointestinais.

Quanto por dia?

Para responder essa questão nada melhor que verificar a tabela de racionamento presente no verso da embalagem dos alimentos. Geralmente, a tabela traz a quantidade diária em gramas (g). Importante sempre reforçar com o tutor que a quantidade presente na tabela é por dia e não por refeição.

Quantas vezes ao dia?

Recomendamos sempre deixar alimento no pote, mas ir incluindo aos poucos ao longo do dia, para não chegar ao final do dia com o alimento com perda de palatabilidade e de fatores sensoriais (mas é importante manter dentro da quantidade recomendada para o animal). Isso porque o gato tem o hábito de comer várias vezes ao dia em pequenas quantidades. Contudo, dependendo da alteração no TGI, o Médico-Veterinário pode indicar o fracionamento da quantidade diária em 3, 4 ou até mais refeições. Nos casos de animais gulosos que possuem o comportamento de se alimentar rapidamente e regurgitam em seguida, além da escolha de um alimento específico, o fracionamento do alimento também é fundamental para diminuir a voracidade na ingestão e, consequentemente, auxiliar a evitar a regurgitação. Deve-se recomendar que o tutor higienize o comedouro pelo menos uma vez ao dia.

Onde devo colocar o comedouro?

O comedouro deve ser posicionado distante do bebedouro, liteira e equipamentos barulhentos, como máquina de lavar, por exemplo. Ele deve ser colocado em um ambiente limpo, calmo, com pouco ou nenhum ruído. Para gatos com apetite caprichoso, deve-se indicar mais de um comedouro distribuídos no ambiente que o gato tem acesso.

As estratégias ambientais e nutricionais não são, contudo, as únicas medidas a serem tomadas na grande maioria dos casos de distúrbios no TGI. Porém, os benefícios que a associação dessas estratégias à conduta terapêutica traz são indiscutíveis.

A ROYAL CANIN® possui alimentos completos, secos e úmidos, que graças ao seu perfil nutricional ideal ajudam a prevenir as alterações no TGI. Além disso, a ROYAL CANIN® produz alimentos coadjuvantes também em ambas as versões, secas e úmidas, que são uma parte essencial do tratamento dos gatos que sofrem de distúrbios gastrointestinais. Saiba mais em https://portalvet.royalcanin.com.br/produtos/.

Referências bibliográficas

A enciclopédia do gato Royal Canin. Disponível em: https://enciclopediagato.royalcanin.com.br/. Acessado em: 29/08/2020.

Enriquecimento ambiental: uma necessidade para os gatos. Disponível em: https://clinivet.com.br/enriquecimento-ambiental-para-gatos/ Acessado em: 29/08/2020.