ROYAL CANIN® responde: Como o alimento auxilia na prevenção do cálculo dental?

ROYAL CANIN® responde: Como o alimento auxilia na prevenção do cálculo dental?

Seção do Portal Vet elucida mais uma dúvida frequente recebida pelos canais de atendimento da ROYAL CANIN®; confira!

O Portal Vet conta agora com uma seção destinada a explorar dúvidas cotidianas levantadas por tutores e médicos-veterinários de gatos e cães e que chegam até nós pelo SAC da ROYAL CANIN®. Na estreia, explicamos como a quantidade de alimento deve ser adequada ao longo da vida do animal. Dessa vez, a dúvida é sobre saúde bucal.

A presença de tártaro ou cálculo dental preocupa tutores e é um assunto frequente em nossos canais de atendimento. A questão abordada por um dos nossos consumidores foi se o animal poderia desenvolver tártaro de acordo com os diferentes tipos de alimento e se, por outro lado, a dieta poderia contribuir para a prevenção do cálculo dental.

E sabemos que alimentos adequados – junto com uma rotina de higiene bucal – podem retardar a formação de cálculo dental e, consequentemente, a evolução para doença periodontal, evitando problemas futuros para esses animais.

Para ajudar a explicar isso ao tutor, vale compreender alguns conceitos básicos – como o que é o cálculo dental, os mecanismos de sua formação e quais as implicações na saúde dos animais – e detalhar as estratégias de prevenção que envolvem a nutrição.

O cálculo dental

O cálculo dental, ou tártaro, como é popularmente conhecido, é uma das afecções mais comuns em gatos e cães e sua presença predispõe ao desenvolvimento de doença periodontal (DP). A DP compromete a integridade do periodonto, que é definido como o conjunto das seguintes estruturas: cemento, gengiva, ligamento periodontal e osso alveolar. Essa estrutura apresenta como principal função a proteção e o suporte dos dentes. A DP pode apresentar efeitos locais (inflamação, sangramento, dor, halitose e perda dos dentes) e sistêmicos (quando há migração das bactérias presentes na saliva para a corrente sanguínea).

A casuística é alarmante. De acordo com o Dr. Daniel Ferro, médico-veterinário especialista e professor de odontologia veterinária, cerca de 90 a 95% dos pets começam a desenvolver algum sinal da doença periodontal já a partir de 1 ano de idade e todos apresentarão a doença em algum grau ao longo de sua vida, caso não haja a prevenção adequada.

Confira no infográfico abaixo como se forma o cálculo dental:

como se forma o cálculo dental

Estratégias de prevenção do cálculo dental e da DP

Como vimos, remover o cálculo dental não é simples e, por isso, o melhor a se fazer é conscientizar o tutor a apostar na prevenção. Aqui a alimentação entra como aliada e parte da estratégia de retardar a formação do tártaro em animais; saiba como:

Adição de tripolifosfato de sódio na fórmula do alimento

Uma das estratégias de prevenção da formação do cálculo é o uso de tripolifosfato de sódio nos alimentos. Evidências científicas apontam que a adição de fosfatos de sódio na formulação do alimento comercial pode contribuir de forma preventiva na redução da formação do cálculo dental.

O tripolifosfato de sódio, utilizado nos alimentos ROYAL CANIN®, se liga aos íons cálcio presentes na saliva, “sequestrando-os” e impedindo que este mineral atue sobre a placa bacteriana já instalada, auxiliando na redução de sua mineralização (Imagem 1).

Formação de cálculo dental
Imagem 1: Ação do tripolifosfato de sódio na cavidade oral. Fonte: ROYAL CANIN®.

Ação mecânica dos croquetes

O emprego da ação mecânica da raspagem é obtido por modificação do formato e textura dos croquetes e compõe a estratégia de prevenção da formação do cálculo dental. Para uma correta ação, os dentes devem penetrar no croquete para quebrá-lo. A mastigação promove a remoção mecânica da placa bacteriana nas faces de atrito entre o dente e o croquete.

A estratégia, no entanto, pode apresentar eficácia reduzida em animais que tendem a deglutir com pouca ou nenhuma mastigação. Por este motivo, o croquete adaptado é de extrema importância para estimular a mastigação. O tamanho, o formato e a textura dos croquetes têm por finalidade a adaptação às diversas conformações faciais de diferentes raças de gatos e cães para encorajá-los a mastigar o alimento (Imagem 2).

Quando ocorre a penetração mais profunda do dente no momento da mastigação, o tempo de fricção dental é mais longo, a eficácia do atrito é maior e, consequentemente, há o aumento da remoção da placa bacteriana.

tipos de croquetes
Imagem 2: Diferentes tipos de croquetes desenvolvidos de acordo com características anatomofisiológicas de cada espécie, porte e raça. Fonte: ROYAL CANIN®.

Importância da escovação diária dos dentes do animal

As estratégias apresentadas acima atuam como complementares à escovação diária dos dentes do animal, mas não a substituem. Assim como nós, humanos, os pets também necessitam de cuidados diários na higiene bucal.

Para condicionar o pet a aceitar o manuseio da boca e a escovação dos dentes, o ideal é iniciar o treinamento quando ele ainda é filhote. É importante utilizar pasta dental e escova específicos para gatos e cães. O uso de produtos para seres humanos é contra-indicado, uma vez que pode causar prejuízo à saúde dos pets. Animais adultos que não estejam acostumados com o manuseio da boca também podem ser treinados.

O treinamento deve ser iniciado de forma tranquila e gradual, de preferência no mesmo horário e local diariamente, e mediante o uso de recompensa para incentivar a associação positiva da experiência ao pet.

Esperamos que este conteúdo tenha lhe auxiliado a compreender melhor os mecanismos de ação da formação do cálculo dental e também a compreender a importância das estratégias combinadas para prevenção desta afecção. Até o próximo ROYAL CANIN® responde.

Referências bibliográficas

BAIA, J. A doença periodontal em cães e gatos. USP, 2018.

FERRO, D. A importância de manter a saúde oral dos pets. Boletim Técnico. Boehringer Ingelheim, 2020.

LEE, J.H. et al. Antibacterial effects of sodium tripolyphosphate against Porphyromonas species associated with periodontitis of companion animals. J Vet Sci, 2019.

OBA, P. et al. Aditivos nutricionais empregados no controle e na melhora da saúde oral de cães e gatos. USP, 2014.

PINTO, et al., Tripolifosfato de sódio e hexametafosfato de sódio na prevenção do cálculo dentário em cães. UFLA, 2008.