Efeito rebote: a importância do controle de peso após o emagrecimento

Efeito rebote: a importância do controle de peso após o emagrecimento

O efeito rebote é comum em pets pós-atingimento do peso meta. Contudo, estratégias nutricionais auxiliam a prevenir o re-ganho

O efeito rebote após a perda de peso bem-sucedida é um fenômeno conhecido em seres humanos e animais de companhia. Isso possivelmente se deve ao fato de que a restrição calórica aumenta a eficiência metabólica, reduzindo as necessidades energéticas de manutenção (NEM) subsequentes.

Evidências atuais sugerem que apenas aproximadamente metade dos animais de estimação obesos que iniciam um protocolo de perda de peso atinge com sucesso o peso alvo. Talvez ainda mais decepcionante seja o fato de que muitos animais recuperam peso posteriormente.

Evidências científicas sobre o efeito rebote

Cães

Em um estudo realizado na Clínica de Controle do Peso ROYAL CANIN® (Royal Canin Weight Management Clinic), na Universidade de Liverpool, entre dezembro de 2004 e maio de 2009, foram incluídos 33 cães que haviam concluído um programa de controle do peso com êxito e atingido seu peso-meta.

Para a manutenção do peso, a alimentação de 16 cães foi trocada para uma dieta de manutenção padrão (Dieta B), enquanto os 17 cães restantes continuaram com uma dieta de perda de peso (Satiety Support, ROYAL CANIN® ou Obesity Management, ROYAL CANIN®, Dieta B). Mensurações de acompanhamento do peso foram realizadas periodicamente.

A duração média de acompanhamento foi de 640 dias. 14 cães (42%) mantiveram o peso, 3 (9%) perderam mais de 5% do peso e 16 (48%) ganharam mais de 5% do peso. A alteração global no peso corporal foi de 4%, mas a maioria dos cães recuperou menos da metade do peso que originalmente haviam perdido.

Os cães alimentados com uma dieta formulada com a finalidade de perda de peso (Dieta A) recuperaram menos peso do que aqueles que mudaram para uma dieta de manutenção (Dieta B). Durante o acompanhamento, verificou-se que o consumo de energia também era significativamente mais alto nos cães alimentados com a dieta de manutenção padrão (Dieta A).

Em um estudo canino separado realizado por Laflamme e Kuhlman (1995), taxas mais rápidas de perda de peso levaram a um rebote mais rápido posteriormente.

Gatos

Deagle e colaboradores (2014) incluíram 26 gatos submetidos a um programa de controle de peso, no qual todos foram bem-sucedidos. Após a perda de peso, os gatos foram monitorados periodicamente. A duração mediana do acompanhamento foi de 954 d (72–2162 d).

Dez gatos (39%) mantiveram seu peso de conclusão, quatro (15%) perderam >5% de peso adicional e 12 (46%) ganharam >5% de peso. Sete dos gatos em recuperação (58%) recuperaram mais de 50% do peso original perdido. Os gatos mais velhos apresentaram menor probabilidade de recuperar o peso do que os gatos mais jovens. Além disso, os gatos com maior ingestão energética durante a perda de peso apresentaram maior probabilidade de recuperar o peso.

Quando as características de ganho de peso em gatos foram comparadas com as de uma gama semelhante de cães, os gatos que se recuperaram tinham maior probabilidade de recuperar >50% do peso que haviam perdido.

Esses resultados sugerem que a recuperação do peso, após uma perda de peso bem-sucedida, é comum em gatos obesos e que os gatos jovens (<7 anos de idade) estão em maior risco.

Estratégias nutricionais

Os estudos acima e tantos outros descritos até o momento destacam o fato de que o controle de peso é um processo que dura a vida toda. Dessa forma, o médico-veterinário deve continuar monitorando o peso corporal desses pacientes mesmo após atingirem o peso ideal.

Para auxiliar na prevenção do efeito rebote, a ROYAL CANIN® recomenda a utilização dos produtos Satiety Small Dog (seco), Satiety Canine (seco) e Satiety Weight Management Canine (úmido) para cães. Nos casos de controle de peso em gatos, a ROYAL CANIN® possui uma linha também completa, com alimentos seco (Satiety Feline) e úmido (Satiety Weight Management). Aqui você encontra mais informações sobre os produtos Royal Canin®.

Referências bibliográficas

Deagle G, Holden SL, Biourge V, Morris PJ, German AJ. Long-term follow-up after weight management in obese cats. J Nutr Sci. 2014;3:e25. doi: 10.1017/jns.2014.36.

German, A. J.; Holden, S. L.; Morris, P. J.; Biourge, V. Long-term follow-up after weight management in obese dogs: the role of diet in preventing regain. The Veterinary Journal, maio, p. 11, 2011.

Laflamme DP, Kuhlman G. The effect of weight-loss regimen on subsequent weight maintenance in dogs. Nutr Res. 1995;15:1019–1028. doi: 10.1016/0271-5317(95)00063-O.