Doença renal crônica em gatos: do diagnóstico ao tratamento

Doença renal crônica em gatos: do diagnóstico ao tratamento

Palestra patrocinada pela ROYAL CANIN® e ministrada pelo Dr. Archivaldo Reche Jr. aborda aspectos importantes das causas, diagnóstico e tratamento das doenças renais em felinos; assista

A doença renal crônica (DRC) representa grande parte dos atendimentos clínicos na medicina felina. Atualmente é bem estabelecido que gatos apresentam maior predisposição à doença se comparado a cães. A DRC pode ser adquirida (geralmente em gatos de idade mais avançada) ou genética (como a doença renal policística na raça Persa e a amiloidose na raça Abissínio).

Além disso, os felinos apresentam cerca de metade do número de néfrons nos rins, o que provavelmente é um fator de maior predisposição. Enquanto cães possuem aproximadamente 400 mil néfrons em cada rim, estima-se que gatos apresentam apenas 200 mil néfrons.

Independente da causa, uma vez instalada a DRC, ocorre progressivamente a diminuição da massa dos rins devido à substituição de tecido funcional por áreas cicatriciais de fibrose no parênquima renal.

A DRC se desenvolve de forma lenta e silenciosa. De acordo com o Dr. Archivaldo Reche Jr, a espécie felina tolera a progressão da DRC melhor do que a espécie canina, e por este motivo é possível administrar clinicamente o paciente para promover maior tempo de sobrevida. Para isso, check-ups precoces são a única forma de detectar e controlar de forma efetiva a doença. Quanto mais cedo for diagnosticada, melhor será a contribuição da terapia para promover qualidade de vida ao animal.

Reforçando a missão da ROYAL CANIN® de compartilhar conhecimento científico com a classe veterinária, disponibilizamos na íntegra o webinar realizado na semana de Medicina Felina promovida pela Vetsmart. A palestra aborda fatores que podem desencadear, perpetuar e agravar a DRC em felinos. Para concluir, a Médica-Veterinária Larissa Druwe, coordenadora de comunicação científica da ROYAL CANIN®, apresenta a importância da nutrição e estudos que demonstram o efeito das dietas coadjuvantes na melhora da qualidade de vida, na diminuição da progressão da doença e no maior tempo de sobrevida em pacientes acometidos pela doença.

Assista agora mesmo: