Março amarelo alerta para doenças renais crônicas em gatos e cães

Março amarelo alerta para doenças renais crônicas em gatos e cães

O início da doença não mostra sinais claros, mas a avaliação do Médico-Veterinário faz toda a diferença no diagnóstico precoce e na qualidade de vida de seus pacientes

O mês de março traz um alerta para humanos e também para os animais: o risco da Doença Renal Crônica (DRC). A DRC ocorre quando a unidade funcional do rim, o néfron, é lesionada de maneira irreversível, causando perda da capacidade do órgão em exercer suas funções excretora, reguladora e endócrina. A doença não tem cura e geralmente progride de forma lenta e irreversível.

Para conscientizar e divulgar mais informações sobre essa enfermidade, a Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN) idealizou o Dia Mundial do Rim, no dia 12 de março, e veio o Março Amarelo, período dedicado a falar sobre a DRC em humanos e que se estendeu para o universo dos pets.

Doença Renal Crônica em detalhes

A DRC é preocupante e acomete 1 a cada 3 gatos e 1 a cada 10 cães ao longo da vida. Os avanços da Medicina Veterinária ao longo das últimas décadas contribuíram para que o tratamento da doença minimize as consequências metabólicas que ocorrem no paciente nefropata, com o objetivo de promover qualidade de vida ao paciente e retardar a progressão da doença.

Ainda assim, é preciso atenção e avaliação detalhada do médico-veterinário na rotina clínica, pois isso contribuirá para um diagnóstico precoce e uma melhor conduta. Saiba mais sobre a DRC.

Raças de cães mais acometidas pela Doença Renal Crônica

As doenças renais podem acometer cães de qualquer raça, no entanto algumas são documentadas em literatura como predispostas a tais enfermidades:

  • Shar Pei
  • Bull Terrier
  • Cocker Spaniel Inglês
  • Bullmastiff
  • Rottweiler
  • West Highland White Terrier
  • Golden Retriever
  • Lhasa Apso
  • Schnauzer Miniatura
  • Shih Tzu
  • Poodle

Raças de gatos mais acometidas pela Doença Renal Crônica

Também todos os felinos podem ser acometidos pela DRC. E, mais uma vez, há predisposição para algumas raças. São elas:

  • Persa
  • Exótico
  • Abissínio

Sinais clínicos mais comuns da Doença Renal Crônica

As manifestações mais frequentes observadas em gatos e cães são:

  • Anorexia
  • Emagrecimento
  • Vômitos e diarreia
  • Poliúria
  • Polidipsia
  • Prostração

Diagnóstico da Doença Renal Crônica em gatos e cães

O diagnóstico deve ser feito de acordo com histórico, anamnese, exame físico e exames complementares. Diversos são os exames necessários para confirmar a existência de doença renal, principalmente em seus estágios iniciais. Como o aumento sérico dos principais marcadores de doença renal, uréia e creatinina, só ocorre quando cerca de 75% da função de ambos os rins comprometida, outros parâmetros devem ser avaliados, conforme abaixo:

  • Densidade e pH urinário
  • Hemogasometria para análise de eletrólitos e avaliação do equilíbrio ácido-básico
  • Ultrassonografia
  • Pressão arterial
  • Presença de proteinúria
  • Razão Proteína/Creatinina urinária
  • Outros

O papel do Médico-Veterinário na prevenção de doenças renais em pets

Os check-ups periódicos aliado à conscientização dos tutores acerca da DRC, principalmente em animais maduros e idosos, é a melhor forma de instituir o diagnóstico precoce e controlar de maneira efetiva a doença, que no início não mostra sinais claros. Quanto mais cedo for diagnosticada, melhor será o resultado da terapia instituída, proporcionando mais qualidade de vida e aumentando o tempo de sobrevida dos animais acometidos.

Manejo nutricional de pacientes renais

Uma vez diagnosticado, o paciente com DRC requer mudanças em sua dieta. A intervenção nutricional é ponto-chave no tratamento coadjuvante da doença, pois apesar de seu caráter irreversível, as alterações metabólicas consequentes da injúria renal podem ser minimizadas pelas modificações dietéticas.

Os objetivos do manejo nutricional são:

  • Garantir ingestão adequada de nutrientes
  • Minimizar efeitos negativos da uremia
  • Manter peso ideal e evitar desnutrição calórico-proteica
  • Evitar desbalanços hidro-eletrolítico e ácido-básico
  • Retardar a progressão da doença
  • Proporcionar qualidade de vida e maior longevidade ao paciente

Os alimentos da linha Renal da ROYAL CANIN® são soluções nutricionais resultantes de um contínuo processo de pesquisa e inovação. Desenvolvidos com base nos mais recentes conhecimentos da nutrição clínica de gatos e cães e formulados com ingredientes rigorosamente selecionados e balanceados para serem utilizados como coadjuvantes no tratamento da DRC, estes alimentos contribuem para minimizar os sinais clínicos e retardar a progressão da doença, promovendo maior qualidade de vida e longevidade aos pacientes acometidos pela doença.

Os alimentos estão disponíveis para gatos e cães em diferentes versões secas e úmidas. O amplo portfólio de alimentos coadjuvantes à doença renal da ROYAL CANIN® tem como objetivo facilitar o manejo alimentar por meio das combinações de diferentes perfis aromáticos que estimulam o apetite e satisfazem as preferências individuais de cada animal.

Referências bibliográficas

FASCETTI, A.J.; DELANEY, S.J. Nutritional management of Kidney Disease. In: Applied Veterinary Clinical Nutrition. p. 251-263. UK: Wiley-Blackwell, 2012.

INTERNATIONAL RENAL INTEREST SOCIETY. Staging of CKD, 2019. Disponível em: <http://www.iris-kidney.com/pdf/IRIS-DOG-Treatment_Recommendations_2019.pdf>. Acesso em: 10 Mar 2021.