Por que indicar uma alimentação específica para raças?

publicado em: 25/06/2020

O Brasil é o segundo país do mundo com o maior número de animais domésticos. Além disso, a população de cães e gatos de raças específicas também vem crescendo, fato observado pelo aumento do número de registros de animais de raça no país. Alguns motivos levam os tutores a escolherem animais de raça definida, sendo os principais:

  • Classificação do porte

  • Previsibilidade do temperamento

  • Conhecimento de suas necessidades

Todos esses fatores contribuem para o bem-estar do animal e para a convivência harmoniosa deste com a família. O conhecimento em nutrição de animais de companhia tem avançado significativamente nas últimas três décadas. Atualmente, o propósito da investigação científica é compreender com precisão o papel dos nutrientes na promoção de saúde, qualidade de vida e longevidade. Alguns aspectos são levados em consideração na formulação de alimentos específicos para raças. São eles:

 

Características anatômicas

 

A diversidade de formatos de cabeça, maxilas e mandíbulas das raças levam à necessidade do desenvolvimento de croquetes adaptados que favoreçam preensão, mastigação e aproveitamento adequados do alimento. Raças como Pug e Bulldog Francês, por exemplo, são classificadas como braquicefálicas e, por isso, podem ter dificuldade em capturar o alimento do comedouro. Cães da raça Pug possuem lábio superior proeminente, que interfere na forma de preensão. Já os gatos da raça Persa fazem preensão do alimento por meio de método sublingual. Para atender às diferentes necessidades, os croquetes adaptados apresentam tamanho, formato, ergonomia, densidade e textura diferentes, características que, quando combinadas, proporcionam ao animal a melhor experiência na ingestão do alimento.
 

Características metabólicas

 

Animais do mesmo porte podem apresentar composição corpórea diferente (relação gordura vs. massa magra), como observamos em cães das raças Labrador e Boxer, ambos de grande porte. Esta característica impacta diretamente no perfil nutricional e na distribuição calórica ideal do alimento. A necessidade energética também já foi reportada em literatura como sendo diferente entre raças, como no caso de Labrador Retriever, Terra Nova e Beagle. Algumas raças, por sua vez, apresentam predisposição à obesidade, como Shih-Tzu e Labradores. Outras possuem maior probabilidade de desenvolverem urolitíases, como Schnauzer e Shih-Tzu, ou doenças periodontais, como Yorkshire Terriers. Bulldogs geralmente apresentam fermentação excessiva no cólon, causando flatulência, portanto esta raça se beneficia do consumo de alimentos elaborados com ingredientes de alta digestibilidade e da combinação de fibras solúveis e insolúveis, para limitar a fermentação de compostos não digeridos no intestino grosso.
 

Comportamento alimentar

 

Algumas raças apresentam como característica a rápida velocidade de ingestão do alimento, o que pode levar à aerofagia e causar distúrbios digestivos secundários. O croquete adaptado auxilia na redução da velocidade de ingestão do alimento e estimula a mastigação. As preferências sensoriais de cada raça, como aroma e textura do alimento, também são levadas em consideração para desenvolvimento do croquete. Este também desempenha importante papel secundário na saúde oral, pois o atrito mecânico dos dentes com o croquete promove efeito de raspagem, favorecendo a remoção da placa bacteriana e ajudando a evitar a formação do cálculo dental.
 

Sensibilidades cutâneas

 

Raças de pelagem longa, como Yorkshire Terrier e Shih-Tzu, também requerem cuidados especiais na alimentação. A qualidade das proteínas e a presença de nutrientes como os aminoácidos metionina e cisteína, minerais como ferro, cobre, zinco e manganês, ácidos graxos ômegas 3 e 6, biotina, vitamina A e vitaminas do complexo B em proporções ideais na dieta promovem a manutenção da pelagem adequada e suportam a integridade da barreira cutânea.
 

Expectativa de vida

 

Cães das raças Poodle, Maltês e Yorkshire Terrier são exemplos de raças que apresentam alta expectativa de vida, podendo alcançar até aproximadamente 20 anos de idade. A alimentação rica em antioxidantes e com especial atenção aos teores de fósforo favorece a qualidade de vida destes animais no longo prazo.

 

As particularidades apresentadas acima são apenas alguns exemplos dentre muitos outros que endossam a necessidade de fórmulas personalizadas para cada raça. O desenvolvimento destes alimentos é respaldado pela literatura científica e, neste sentido, a nutrição para raças é o que existe de mais avançado em termos de ciência e tecnologia, pois é a que oferece a maior precisão nutricional.

 

A Royal Canin® é especialista em raças e há mais de 50 anos se dedica a compreender as necessidades nutricionais únicas de gatos e cães, desenvolvendo fórmulas inovadoras e personalizadas. Há 20 anos, foi pioneira e introduziu no mercado brasileiro o primeiro alimento específico desenvolvido para raças. Desde então, vem aperfeiçoando cada vez mais suas fórmulas e atualmente oferece o maior portfólio de soluções nutricionais exclusivas para gatos e cães. Na Royal Canin®, acreditamos que seu pet é único e seu alimento também deve ser.

 

Referências

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 2018.

Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), 2020.

PIBOT,P; V. BIOURGE; A, ELLIOT. Encyclopedia of Canine Clinical Nutrition. Royal Canin, 2008.

National Research Council (NRC), 2006.

Fascetti, A. & Delaney, S. Nutritional Management of Skin Diseases. Applied Veterinary Clinical Nutrition, 2012.

GRANDJEAN, D; BUTTERWICK, R. Waltham® Essential Cat and Dog Nutrition pocketbook, 2012.