O SÓDIO NA ALIMENTAÇÃO DE GATOS E CÃES: MITOS E VERDADES

publicado em: 19/12/2018
    INTRODUÇÃO

 

Quais são os riscos do sódio na alimentação de gatos e cães com doença do trato urinário? Em benefício aos animais, a ROYAL CANIN trouxe informações baseadas em pesquisas científicas veterinárias de todo o mundo sobre o tema, e assim auxiliar a desvendar mitos e ratificar verdades.

 

MITO: SAL E EVOLUÇÃO DE DOENÇA RENAL
 

  • Há uma alegação de que “alimentos com níveis muito altos de sódio podem agravar o comprometimento da função renal”. Essa alegação não é apoiada pela literatura especializada atual, publicada em revistas de renome internacional. Por exemplo, de seis trabalhos científicos que analisaram a associação entre a ingestão de Na (sódio) e a evolução da doença renal em gatos e cães, cinco não conseguiram encontrar nenhuma correlação. Ainda, de acordo com dois nefrologistas de renome mundial, os dados apresentados no trabalho não apoiam a afirmação feita em sua discussão de que “o alimento rico em cloreto de sódio (NaCl) era associado a um declínio progressivo na função renal”.
  • Além disso, o National Research Council (Conselho Norte-americano de Pesquisas) da National Academy of Sciences of the United States (da Academia Internacional de Ciências dos Estados Unidos) em sua edição mais recente sobre as necessidades nutricionais de cães e gatos concluiu que, contanto que haja água disponível, cães e gatos adultos são capazes de tolerar altas concentrações de sódio na dieta (>1,5% com base em matéria seca).

 

BURANAKARL, C.; MATHUR, S. S.; BROWN, S. A. Am J Vet Res 2004; 65:620-7. COWGILL, L. D.; SERGEV, G.; BANDT, C. et al. J Vet Intern med 2007; 21:600 (abst 104). HUGHES, K. L.; SLATER, M. R.; GELLER, S. et al. Preventive Veterinary Medicine 2002; 55:1-15. GRECO, D. S.; LEES, G. E.; DZENDEL, G.; CARTER, A. B. Am J Vet Res 1994; 55:152-9. Kirk CA, Jewell DE, Lowry SR. Veterinary Therapeutics 2007; 4:333-346. National Research Council. The National Academies Press, Washington DC. 2006.159-162. XU, H.; LAFLAMME, D. P.; RIBOUL, C. et al. J Vet Intern Med 2007;21:600 (abst 105).
 

 

VERDADE: SAL E DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR

Estudos demonstraram que um teor de sódio na dieta entre 0,9 e 1,4%, com base em matéria seca:

  • Aumenta o volume urinário em gatos e cães.
  • Aumenta a quantidade de água ingerida pelo animal.
  • Diminui a densidade urinária.
  • Diminui a saturação da urina com estruvita e oxalato de cálcio (supersaturação relativa) em gatos e cães.
  • Reduz o risco de urolitíase.

 

BIOURGE, V. ACVIM Forum. Louiville, KY May 31-June 3, 2006, 17-19. BIOURGE, V.; DEVOIS, C.; MORICE, G. et al. Proceedings of the 19th ACVIM Forum, Denver, Colorado, 2001; 866 (Abst). HAWTHORNE, A. J.; MARKWELL, P. J. J Nutr 2004, 134: 2128s-9s. LEKCHAROENSUK, C.; OSBORNE, C. A.; LULICH, J. P. et al. JAVMA 2001; 219:1228-37. LEKCHAROENSUK, C.; OSBORNE, C. A.; LULICH, J. P. et al. AJVR 2002, 63:330-337. LULICH, J. P.; OSBORNE, C. A. Sanderson SL. Am J Vet Res 2005;66:319-324. STEVENSON, A. E.; HYNDS, W. K.; MARKWELL, P. J. Research in Vet Science 2003, 74:145-151. XU, H.; LAFLAMME, D. P.; RIBOUL, C. et al. J Vet Intern med 2007; 21:600 (abst 105).

 

VERDADE: SAL E FORMAÇÃO DE CÁLCULOS (URÓLITOS)

  • Dietas formuladas com concentrações superiores de sódio, porém dentro do limite recomendado internacionalmente, podem minimizar a formação de urólitos de oxalato de cálcio.
  • Gatos alimentados com dietas pobres em sódio apresentaram um risco elevado de desenvolver urólitos de oxalato de cálcio.


LEKCHAROENSUK, C. et al. AJVR, 2002;63: 330-337. LEKCHAROENSUK, C.; OSBORNE, C. A. JAVMA, 2001; 219:1228-1237.
 

 

VERDADE: SAL E PRESSÃO ARTERIAL SISTÊMICA

  • A suplementação de sal NÃO afeta a pressão arterial em cães saudáveis.
  • O sal não afeta a pressão arterial em gatos saudáveis.
  • O sódio na dieta não afeta a pressão arterial em cães submetidos à nefrectomia parcial.
  • A ingestão de sódio na dieta não exerceu efeito sobre a pressão arterial em gatos parcialmente nefrectomizados.

 

BIOURGE, V. et al. Proceedings of the 12th ECVIM-CA/ESVIM Congress, Munich, Germany, 2003. BURANAKARL, C.; MATHUR, S. S.; BROWN, S. A. Am J Vet Res 2004; 65:620-7. KIRK, C. A.; JEWELL, D. E.; LOWRY, S. R. Veterinary Therapeutics 2007;4:333-346. COWGILL, L. D.; SERGEV, G.; BANDT, C. et al. J Vet Intern med 2007;21:600 (abst 104). GRECO, D. S. et al., AJVR, 1994;55:160-165. XU, H.; LAFLAMME, D. P.; RIBOUL, C. et al. J Vet Intern med 2007;21:600 (abst 105). LUCKSCHANDER, et al. JVIM, 2004; 18:463. COWGILL, L. D.; SERGEV, G.; BANDT, C. et al., Effects of dietary salt intake on body fluid volume and renal function in healthy cats. J Vet Intern Med 2007; 21: 600.

 

VERDADE: O SAL PROMOVE EXCREÇÃO URINÁRIA DE CÁLCIO
 

  • O aumento de sódio na dieta aumenta a excreção urinária de cálcio em 24 horas.  Contudo, como o sódio também promove a diurese, o resultado real é uma diminuição significativa na saturação da urina com oxalato de cálcio (supersaturação relativa) e, consequentemente, uma redução no risco de formação dos cristais de oxalato de cálcio.

BIOURGE, V.; DEVOIS, C.; MORICE, G.; SERGHERAERT, R. Proceedings of the 19th ACVIM Forum, Denver, Colorado, 2001; 866 (Abst). HAWTHORNE, A. J.; MARKWELL, P. J. J Nutr 2004, 134: 2128s-9s. LULICH, J. P.; OSBORNE, C. A.; SANDERSON, S. L. Am J Vet Res 2005; 66:319-324. STEVENSON, A. E.; HYNDS, W. K.; MARKWELL, P. J. Research in Vet Science 2003, 74:145-151.


 

VERDADE: SAL E A LINHA URINARY VETERINARY DIET DA ROYAL CANIN

  • A linha Urinary Diet da ROYAL CANIN contém níveis exaustivamente pesquisados de sódio para auxiliar o manejo das doenças do trato urinário inferior de gatos e cães.
  • Os níveis de sódio na dieta da ROYAL CANIN se enquadram dentro dos limites seguros recomendados pelo National Research Council (Conselho Norte-americano de Pesquisas) de 2006. 
     

NATIONAL RESEARCH COUNCIL. Sodium. Nutrient requirements of dogs and cats. The National Academies Press, Washington DC. 2006.159-162.