SÍNDROME DE REALIMENTAÇÃO EM GATOS E CÃES

publicado em: 15/10/2018

 

    INTRODUÇÃO

 

Gatos e cães desnutridos, particularmente que perderam mais de 10% do peso corporal em pouco tempo ou não se alimentaram adequadamente e suficientemente nos últimos 7 dias, estão sujeitos à Síndrome da Realimentação. Esta é ainda condição de elevada morbidade e mortalidade e que tem seus mecanismos patogênicos pouco conhecidos.
 

Pacientes subnutridos quando são realimentados por via oral, enteral ou parenteral de forma rápida podem apresentar:

  • Hipofosfatemia
  • Hipomagnesemia
  • Hipocalcemia
  • Potássio e sódio também sofrem desequilíbrios

O rápido restabelecimento da oferta nutricional leva à entrada de moléculas do meio extra para o intracelular, levando à brusca diminuição dos valores plasmáticos desses minerais, provocando alterações metabólicas.


 

SINAIS E SINTOMAS
 

Observamos um quadro caracterizado por redução do nível de consciência, arritmias, congestão pulmonar e diarreia. As manifestações clínicas não são específicas, mas podem se apresentar por alterações em:

  • Sistema cardiovascular
  • Sistema músculo esquelético
  • Sistema hemato imunológico


 

COMO EVITAR
 

Para evitar a Síndrome de Realimentação, recomenda-se o oferecimento gradual de alimento para o paciente, fracionando a quantidade recomendada em 4 a 6 refeições. Recomenda-se atingir as necessidades energéticas e nutricionais para o gato ou para o cão ao longo de 4 a 5 dias, evitando a sobrecarga nutricional. Caso o paciente esteja recebendo alimentação por sondas ou tubos, propõe-se também que ela seja administrada em bolus de forma gradual e em uma velocidade lenta.
 

Figura 1 - Sugestão de oferta de alimento gradual ao paciente em estado crítico.
 

 

 

    REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

  • CARCIOFI, A. C.; FRAGA, V. O.; BRUNETTO, M. A. Ingestão calórica e alta hospitalar em cães e gatos. Revista de Educação Continuada do CRMV-SP, São Paulo, v. 6, n.1/3, p. 16-27, 2003
  • CASE, L. P.; DARISTOTLE, L. HAYEK, M.G., RAASCH, M.F. Canine and feline nutrition: A resource for companion animal professionals. 3ed. St. Louis: Mosby. 2010
  • CROOK, M.A., HALLY, V., PANTELI, J.V. The importance of the refeeding syndrome.v. 17, p. 632-637, 2001
  • DONOGHUE, S. Nutritional support of hospitalised animals. Journal of Small Animal Practice, Oxford, v. 33, n. 4, p. 183-190, 1992.
  • TORRANCE, A. G. Intensive care – Nutritional support. In: KELLY, N. C.; WILLS, J. Manual of companion animal nutrition & feeding. Iowa: BSAVA, 1996. p. 171-180.
  • WSAVA Nutritional Assessment Guidelines Task Force Members. Journal of Small Animal Practice. v. 52 p. 385-396, 2011.