RISCOS DA OBESIDADE PARA CÃES E GATOS

publicado em: 30/07/2018

 

 

 



ADAPTADO DE: GERMAN, A.; BUTTERWICK, R. Livro de bolso do WALTHAM ® sobre manutenção do peso saudável para cães e gatos. p. 8–9, 2010.




 

PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS

Um dos sinais mais comuns associados à obesidade animal é a tolerância reduzida ao esforço físico. Como resultado, o pet pode ofegar excessivamente e até sofrer colapso traqueal, no caso dos cães. Após a perda de peso, os tutores relatam aumento na disposição e capacidade dos seus animais de estimação para brincar.


PROBLEMAS NAS ARTICULAÇÕES

O excesso de peso corporal impõe um aumento do estresse sofrido pelas articulações. Cães filhotes com excesso de peso têm maior probabilidade de sofrer de displasia coxofemoral, enquanto os cães mais velhos podem sofrer de osteoartrite. Animais acima do peso têm maior probabilidade de romper ligamentos e fraturar ossos, o que pode necessitar de cirurgia. A mobilidade reduzida diminuirá os requisitos energéticos do animal de estimação e, se a porção diária de alimentos não for ajustada, levará a um ganho ainda maior de peso.
 


PROBLEMAS DE PELE

Animais obesos podem apresentar maior dificuldade para a auto-higiene, o que pode levar a uma condição precária da pele e pelagem e, ao aumento do odor corporal. Em casos extremos, o animal pode sofrer alopecia, feridas e desenvolvimento de dermatites.



DISTÚRBIOS GASTROINTESTINAIS

Cães e gatos com excesso de peso têm maior probabilidade de apresentar diarreia, inflamação das glândulas circum-anais, constipação e doença inflamatória intestinal. Em combinação com a incapacidade de cuidarem eficazmente de sua higiene, isso pode resultar no aumento do odor e limpeza insatisfatória.


ESTRESSE TÉRMICO

Como o tecido adiposo também atua como isolante, cães e gatos com excesso de peso apresentam maior probabilidade de sofrerem de exaustão em temperaturas elevadas. Reduzindo ainda mais a capacidade de exercício em dias quentes.


COMPROMETIMENTO DO SISTEMA IMUNOLÓGICO

Cães e gatos obesos e com sobrepeso, especialmente se alimentados com uma dieta com alto teor de gordura, apresentam resistência reduzida à infecções e, portanto, podem estar mais propensos a desenvolver outras doenças.


CÂNCER

A obesidade vem sendo associada a certos tipos de câncer, como tumores mamários em cães.



PROBLEMAS REPRODUTIVOS

Alguns animais apresentam redução da fertilidade e aumento do risco de complicações durante o parto quando apresentam excesso de peso ou são obesos.


REDUÇÃO DA TOLERÂNCIA À GLICOSE

Gatos obesos têm capacidade reduzida de metabolizar a glicose, visto que suas células são mais resistentes aos efeitos da insulina. Embora o diabete mellitus tipo II não seja reconhecido em cães, existe uma associação entre cães com excesso de peso e que sofrem de diabete tipo I.


AUMENTO DOS RISCOS EM CIRURGIAS

Pela maior duração dos anestésicos no tecido adiposo. Diversas condições resultantes da obesidade podem exigir a intervenção de um veterinário. Extrair amostras de sangue e palpação podem ser prejudicadas pelo excesso de gordura corporal.


MENOR EXPECTATIVA DE VIDA

O maior escore de condição corporal pode influenciar negativamente na expectativa de vida do cão ou do gato. Em cães, raças de grande porte, a expectativa de vida é reduzida, em média, em dois anos como resultado da obesidade.

 

 

    REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

 

  • Fiser, R.H., Rollins, J.B. & Beisel, W.R. (1972) Decreased resistance against infectious canine hepatitis in dogs fed a high-fat ration. American Journal of Veterinary Research, 33, 713-719.
  • German, A.J., Hervera, M., Hunter, L. et al (2009) Improvement in insulin resistance and reduction in plasma inflammatory adipokines after weight loss in obese dogs. Domestic Animal Endocrinology, 37, 214-226.
  • Gregory, S.P. (1994) Developments in the understanding of the pathophysiology of urethral sphincter mechanism incompetence in the bitch. British Veterinary Journal, 150, 135-150.
  • Lawler, D.F., Evans, R.H., Larson, B.T. et al (2005) Influence of lifetime food restriction on causes, time, and predictors of death in dogs. Journal of the American Veterinary Medical Association, 226,225-31.
  • Lekcharoensuk, C., Lulich, J.P. Osborne, C.A. et al (2000) Patient and environmental factors associated with calcium oxalate urolithiasis in dogs. Journal of the American Veterinary Medical Association, 217, 515-519.
  • Montoya, J.A., Morris, P.J., Bautista, I. et al (2006) Hypertension: A risk factor associated with obesity in dogs. Journal of Nutrition, 136, 2011S - 2013S.Van Winckle, T.J. & Bruce, E. (1993) Thrombosis of the portal vein in eleven dogs. Veterinary Pathology, 30, 28-33.
  • Van Winckle, T.J. & Bruce, E. (1993) Thrombosis of the portal vein in eleven dogs. Veterinary Pathology, 30, 28-33.